Desenvolvimento Neuropsicomotor e sua importância na Aprendizagem - NeuroSaber

O Desenvolvimento Neuropsicomotor e sua importância na Aprendizagem

Desenvolvimento Neuropsicomotor

Os desafios que a infância apresenta aos profissionais precisam de muito acompanhamento para que os resultados sejam satisfatórios e até superem as expectativas. No texto de hoje falaremos sobre como o desenvolvimento neuropsicomotor pode auxiliar no processo de aprendizagem da criança. Afinal, a importância da aprendizagem é inegável.

Contudo, é preciso desconstruir muitos preconceitos que, ao longo das décadas, foram se consolidando e apenas contribuindo para uma visão deturpada sobre uma situação que afeta muitas crianças.

Desconstrução de preconceitos e retomada de novas metodologias

Como há, ainda, nas escolas e nas faculdades de pedagogia uma carência de estrutura bibliográfica que fale sobre a questão dos distúrbios neuropsicomotor; muitos profissionais da educação não sabem como lidar exatamente em casos de alunos que apresentem alguma característica semelhante e acabam por oferecer-lhes um tratamento não condizente à real necessidade. É inegável que tal situação acaba por estigmatizar a criança até mesmo entre os coleguinhas.

Há atividades que procuram minimizar e levar às crianças resultados muito bons para o  desenvolvimento infantil. Uma delas é o fato de incutir na criança o gosto pela palavra e pelas imagens, uma vez que a partir disso ela possa desenvolver sua cognição. No entanto, é preciso fazer uma separação sobre as diferentes faculdades do pequeno, no que tangem o desenvolvimento cognitivo e físico.

Importante saber!

Embora pareça haver uma linha que separa uma habilidade de outra, é bem verdade que quando uma criança apresenta déficit no desenvolvimento motor, ela também pode ter dificuldade para o aprendizado da escrita e da linguagem verbal. Por isso a prática de atividades específicas é imprescindível para o desenvolvimento do pequeno.

Quais são as atividades mais usadas no desenvolvimento neuropsicomotor?

Importante responder a essa pergunta, pois as atividades são aquelas que a envolvem por completo, principalmente no ambiente que ela deve estar sempre em socialização: exercícios realizados em sala de aula. Importante lembrar que não são apenas aqueles que impulsionam o caráter pedagógico, obviamente que estes também têm um papel relevante; entretanto, há outros que complementam muito bem a aprendizagem da criança:

Estímulo de coordenação motora fina através de desenhos, colagens, recortes, brincadeiras com massinhas (e formação de esculturas);

Danças e jogos corporais para que a criança conheça seu corpo e, mesmo com as limitações, possa descobrir novas possibilidades de se interagir com a linguagem corporal;

Estimular a comunicação e uso das palavras;

Estimular o contato entre os coleguinhas com a finalidade de desenvolver a amizade e quebrar as possíveis barreiras existentes;

Apropriação e reconhecimento corporal.

Além disso, outras atividades que impulsionam o desenvolvimento neuropsicomotor em prol do aprendizado também podem encontrar em profissionais de outras áreas resultados bastante satisfatórios, como a psicopedagogia, a fonoaudiologia, entre outros.

Voltando para o ambiente escolar, é sempre válido lembrar que os educadores precisam levar em consideração que a criança precisa se sentir amada e querida por todos. Então, nunca é demais ressaltar que as brincadeiras devem ser completamente inclusivas e fazer com que todos se divirtam. Brincando, o aprendizado vem sem dificuldade e os pequenos absorvem os conteúdos com tranquilidade.

 

28 Comentários
  1. Jhecy Silva 3 meses atrás

    É muito bom perceber que a concepção de aprendizagem vem sofrendo mudanças positivas, englobando metodologias mais lúdicas e trazendo para o ambiente escolar essa necessidade de desenvolver as habilidades do educando como um todo, sem deixar lacunas.

  2. Jaqueline Boaro 3 meses atrás

    Olá, sou professora de Ed física, além de formação em Psicopedagogia. É muito bom reafirmar alguns conceitos nos quais acredito. Utilizar o corpo de forma lúdica como aliado ao aprendizado da leitura e escrita. Excelente

  3. Raquel Paranhos 3 meses atrás

    Muito bom texto!

  4. Aparecida Paulina da Rocha 3 meses atrás

    Sou professora de educação física e sempre busco novas brincadeiras que ajudam na aprendizagem da criança. Adorei está matéria!!!!

  5. Marisa Seyr 3 meses atrás

    Apreciei as considerações realizadas sobre como podemos auxiliar a criança com deficit psicomotor e de aprendizagem, Como professora sempre utilizei jogos, musica e a dramatização, Um abraço a todos!

  6. Ana Cristina Oliveira 3 meses atrás

    É importante focar nas atividades que estimulem a criança como um todo, além de valorizar o trabalho do educador, envolvendo uma equipe multiprofissional para o sucesso do desenvolvimento neuro- psicomotor da criança.

  7. IZABEL APARECIDA SANTAROSA DOS SANTOS 3 meses atrás

    Muito bom o artigo. Ressalto tambem a importancia de oferecer as criancas oportunidades de se movimentar mais: rastejar, engatinhar, andar, correr, saltar, subir e descer….entre outros. Alem disso as atividades de vivencia diarias como: vestir-se, servir-se, abrir e fechar, amarrar, desabotoar…
    alem de gerar autonomia e otimo para habilidades motoras.
    Gostaria de mais infoacoes entre a relacao do movimento x concentracao.

  8. ranielle 3 meses atrás

    obrigada por estar proporcionando estes textos nós proporciona uma visão mais ampla de nossa categoria profissional, tendo as vezes uma luz onde está apagada e dando outro caminho a seguir, um complemento em minha metodologia

  9. Érika Suzuki Bueno 3 meses atrás

    A escola é um espaço que facilita o aprendizado no sentido mais amplo do termo. Quando os profissionais envolvidos neste ambiente criam situações de inclusão, todos ganham: os que têm deficiência ou não. Digo, até, que com a experiência que tenho em uma escola pública que recebe uma demanda grande de PAEE, os demais alunos acabam ganhando uma experiência com a diversidade rica em valorização, e acabam carregando todo este conhecimento pra vida acadêmica, profissional e pessoal.

  10. Cassia Monteiro 2 meses atrás

    Bom dia
    Na minha opinião os professores diretores e coordenadores sentem uma certa dificuldade em detectar uma criança com distúrbios neuropsicomotror, mas hoje temos muitos ha meios por onde possamos nos aperfeiçoar para ajudar as nossas crianças, trabalhar a ludicidade com as crianças e uma forma criativa e compensadora na descoberta da dificuldade da criança.

  11. Rúbia 2 meses atrás

    Muito bom o texto amei..

  12. Maira 2 meses atrás

    Realmente para que a criança se desenvolva ela precisa sentir-se amada e respeitada, dentro de suas limitações. Vejo isso explícito na escola, as crianças sentem quando não são benquistas e se bloqueiam.

  13. Míriam Couto Ferreira 2 meses atrás

    Realmente, não podemos separar as áreas de desenvolvimento infantil elas estão entrelaçadas e esse texto explica isso com propriedade!

  14. Eliete de Moura Beserra Esturari 2 meses atrás

    Realmente a formação de profissionais faz a diferença no trabalho com as crianças.
    Que por algumas vezes são consideradas indisciplinadas, principalmente quando apresentam um comportamento disperso ou agitado.
    Estou muito confiante nesta formação

  15. Regianna 2 meses atrás

    Amor e respeito devem ser inseparáveis quando o assunto é criança. Texto muito completo, claro e objetivo, isso nos faz refletir a nossa rotina e perceber que podemos contribuir muito para o desenvolvimento dos pequenos. Trabalho com educação infantil, procuro de forma lúdica e prazerosa desenvolver atividades que possibilitam movimentos variados para que a criança possa experimentar e exercitar-se ao mesmo tempo. Esse tempo é ótimo para avaliar várias aptidões e habilidades. Parabéns, por dividir saberes importantes como esses.

  16. cintia Martins 2 meses atrás

    A cada dia venho me alimentando com mais conhecimentos.
    De fato, quando nos sentimos amados conseguimos realizar coisas fantásticas.
    Importantíssimo que nossas crianças , sintam-se amadas por todos para que assim possam desenvolver seu aprendizado. Acredito que um dos maiores problemas nas escolas está exatamente aí, na falta de afetividade e amor.

  17. Érika de Oliveira 2 meses atrás

    Quando o Educador está atento ao aspecto afetivo e emocional e a criança está em contato com o meio a qual ela está inserida através de jogos , brincadeiras, atividades motoras e sensoriais percebe-se grande avanço em todos os aspectos pedagógicos.

  18. Fabricia Monhengue 2 meses atrás

    Este texto é muito bom, obrigada por nos disponibilizar!

  19. silonita 2 meses atrás

    Belo texto! obrigada!

  20. Vania Rocha 2 meses atrás

    Obrigada por disponibilizar o texto, e de grande valia para aprendizagem.

  21. Natália corrêa do nascimento 2 meses atrás

    olá! bom dia!
    Amei receber essas informações, apesar de já praticá-los…
    Como professora na rede pública encontramos vários casos complicados e quase sem recursos nos
    mobilizamos e em conjunto chegamos a um consenso para caminharmos nesse campo tão difícil…
    O que me revoltou foi que encontrei-me com um coordenador que ao pedir a classificação da diagnóstica,
    nos informou que as atividades da criança silábico sem valor deveria ser diferente dos conteúdos trabalhados com os outros alunos…
    Penso e pergunto se ao passar conteúdos diferentes dos demais não traria um bloqueio, pois a mesma se sentirá excluída do grupo…posso estar errada, mas fico com lágrimas nos olhos ao me deparar com uma criança que chega em mim e diz que conseguiu fazer o cabeçalho sozinha…
    Poderia me dar um conselho?
    bjs
    Prof Natália

  22. mery 2 meses atrás

    Obrigada! Esse texto é claro, objetivo e contribuirá para compreendermos e difundir com nossas crianças.

  23. Aparecida Silvana 2 meses atrás

    Sim, todas as crianças precisam sentir-se parte ativa no processo ensino e aprendizagem desenvolvendo assim autonomia para interagir e contribuir de maneira positiva para o êxito desse processo.

  24. Mônica Maria Vieira 2 meses atrás

    Muito esclarecedor este artigo.
    Como sempre preocupados em facilitar nosso relacionamentos na
    sala de aula e fora dela.
    Obrigada!!

  25. Rosangela 2 meses atrás

    Gosto muito de trabalhar com música, proporciona infinitas possibilidades de se trabalhar com movimentos, ritmos, sentimentos, imaginação, concentração, equilíbrio físico e mental, envolvendo á todos rompendo qualquer tipo de barreira, proporcionando momentos incríveis de troca. gostei muito do texto! De todas as dicas, obrigada!

  26. Paula 2 meses atrás

    Realmente encontramos poucos textos e artigos que esclareça para pais e professores, que caminhos devemos seguir e que tipo de atividades motoras as crianças necessitam.

  27. Paula 2 meses atrás

    ótimo texto!

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2016 NeuroSaber todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:  Agência Primage

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?