Principais Sintomas e Diagnóstico de Dislexia - Artigos | NeuroSaber

Principais sintomas e diagnóstico de Dislexia

Diagnostico Dislexia

A dislexia é de fato, um transtorno um tanto quanto difícil de ser diagnosticado, haja vista que depende da experiência dos profissionais envolvidos, sejam eles professores, neurologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, exigindo um maior aprofundamento e ambientação no tocante ao tema.

Tal fato se corrobora ao notarmos que a dislexia requer um viés multidisciplinar para o seu correto tratamento e as formas mais adequadas para auxiliar no desenvolvimento de cada criança portadora da dislexia.

Aspectos básicos e definição da dislexia

De maneira consensual, a dislexia pode ser definida como uma espécie de distúrbio de aprendizado. Sua origem é de ordem neurológica e é caracterizada por alguns sintomas, como fluência de leitura dificultada, e também pobreza da decodificação e soletração das palavras.

Tais características são resultantes da deficiência das habilidades fonológicas, o que, por sua vez, traz como consequência a problemática da aquisição do vocabulário e até mesmo a compreensão da leitura. Todos esses fatores acabam prejudicando o desempenho escolar da criança e/ou indivíduo.

A dislexia atinge cerca de 4-5% da população mundial e é apontada como um transtorno do desenvolvimento, tendo a maior incidência no quesito distúrbios de aprendizagem. Ela promove sinais nos primeiros anos de vida e deve ser diagnosticada de maneira precoce para que possa ser feita a intervenção já no início, evitando sua evolução e demais problemas relacionados, como por exemplo, transtornos de ordem depressiva.

Histórico da dislexia

Os primeiros relatos atribuídos à dislexia apareceram no final do século XIX e começo do século XX. Surgem com artigos de Morgan, no ano de 1896, enquanto um dos primeiros termos para se definir o quadro clínico da dislexia foi “Agenesia Visual Gráfica”, no ano de 1907, pelo estudioso Stevenson.

Em 1917, Hinshelwood tece os “primeiros estudos de famílias com dificuldades de leitura sem motivo aparente”, cujo cerne de determinadas famílias, alguns indivíduos, embora não mostrassem problemas de ordens visuais, não conseguiam aprender a ler adequadamente.

Galaburda, em 1979, fala sobre “Evidências neuroanatômicas” que aponta a simetria de lobos temporais em pacientes que apresentavam problemas de leitura. Este estudo era feito post-mortem comparativo com pessoas com leitura fluente.

Mais recentemente, em 2006, Salgado-Azoni & Cols abordam sobre o prisma de novas tecnologias de se observar o funcionamento cerebral, os “Aspectos neuropsicológicos associados à neuroimagem”, concluindo que o cérebro das crianças com dislexia é de fato, diferentes daquelas não disléxicas.

Com este histórico temos subterfúgios para fecharmos um diagnóstico da dislexia, identificando e caracterizando a forma como ela atua.

Como a Dislexia se caracteriza

Notamos, portanto, que a dislexia se caracteriza essencialmente como um distúrbio de aprendizagem, cujas pessoas acometidas por ela possuem dificuldades de leitura.

De acordo com os estudos e o histórico da dislexia, chegou-se à comprovação de que o indivíduo portador deste distúrbio tem o cérebro diferente, onde determinados campos não são ativados em comparação às pessoas que não se inserem neste mesmo quadro clínico.

Observar os sintomas e ter conhecimento prévio nas diferentes esferas multidisciplinares é essencial para que possa ter embasamento no diagnóstico preciso da dislexia e desta forma, contribuir para um tratamento efetivo do distúrbio, proporcionando mais qualidade de vida para a pessoa.

11 Comentários
  1. Heddy Lamar Silva David 4 meses atrás

    Sou psicóloga clínica Especialista em Educação Especial e Psicomotricidade. Gosto de ler seus artigos pois muito me ajudam na prática.

  2. Elza 3 meses atrás

    Trabalho com reforço,estou com uma aluna que tem dislexia,ela ainda não está alfabetizada,eata no quarto ano fundamental,estou precisando de atividades para alfabetização

  3. terezinha 3 meses atrás

    Meu filho esta no 4-ano e ainda não esta alfabetizado, ele ja faz psicologia em grupo aula particular.me ajude os medicos ainda não deram um diagnostico sou uma mãe a procura de ajuda ,ele esta com nove anos e gemêos e irmã não teve problema obrigada

    • Margareti 1 mês atrás

      Bos noite, vc já deve uma avaliação com uma fonoaudióloga???

  4. barbara sotonyi soares 3 meses atrás

    A partir de que idade posso diagnosticar a dislexia? Tenho uma aluna de 1º ano que não assimila conteúdos, apresenta bastante dificuldade em fixar as vogais, consoantes.

    • jo 2 meses atrás

      Barbara quero te parabenizar, como professora, sei muito bem o q é uma dislexia e os professores no Brasil não interessam nem aprender, muito menos procurar ajuda para um aluno, na maioria das vezes os alunos são tratados como burros, desatentos. Por outro lado os pais não aceitam a dificuldade de seus filhos. Não sou nenhuma profissional, mas sei muito do que se trata, aprenda tudo, assim vc poderá ajudar a muitos necessitados, mostrando um caminho mais fácil a trilhar.

  5. zhenia 3 meses atrás

    Percebendo as dificuldades de aprendizagem das cças que tem dislexia, percebi tb que pode apresentar uma inteligencia prática do dia a dia.
    Gostaria de saber exercícios que utiliza para melhorar as dificuldades de aprendizagem da dislexia.

  6. CLEONICE F. ALMEIDA 3 meses atrás

    GOSTARIA DE SABER COMO TRABALHAR COM ALUNO DE 6º ANO FUNDAMENTAL COM DISLEXIA.

  7. jorge luiz 2 meses atrás

    minha filha está com 10 anos de idade e a medica dela ainda não definiu se minha filha tem dislexia,ou não… pois toma venvanse, faz tratamento com a fonuadiloga, psicologa,psicopedagoga e neuropediatra e ainda nao esta lendo

  8. Alessandra Pereira 2 meses atrás

    O dislexo será tratado como “pessoa especial” ao se defrontar com provas de vestibular, concursos e outros objetivos de sua vida?
    Sou mãe de um lindo garoto de 10 anos, que agora esta sendo avaliado.

  9. Valeria Souza 1 mês atrás

    Meu filho tem 10anos está no 5 ano do fundamental ele tem dificuldades e ler texto e responder o que se pede em casa estudo co ele tem o apoio da aula de reforço e tbm da psicóloga. O que devo fazer para estimular mais pois em casa e uma coisa e na hora das avaliações o resultado se torna negativo.Pode me ajudar por favor já levei no neutro e ele ñ me dá uma posição certa o final do ano está chegando provas e estou com receio dele ñ ser aprovado e ele perder a bolsa e estudos. Obrigado

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2016 NeuroSaber todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:  Agência Primage

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?