3 atividades que estimulam a aprendizagem

Vocês acham que a aprendizagem é algo difícil de ser estimulado nos pequenos? Saibam que ela pode ser muito mais divertida do que se pensa. Inclusive, dentro de casa pode haver um complemento ao que é dado na escola pelos educadores.

Cuidado com os equívocos

As atividades a serem praticadas em casa são ideais para fazer com crianças de 3 a 5 anos de idade, período em que elas começam a ter capacidade para aprender os primeiros passos rumo a alfabetização.

É comum que muitas pessoas cometam o erro de pensar que a criança precisa conhecer as letras para aprender a ler e a escrever. O equívoco é justificado pelo fato de o pequeno ter a necessidade de ser estimulado em sua consciência fonológica, antes mesmo de ser apresentado às palavras.

O que é consciência fonológica?

Importante relembrar que a consciência fonológica é a habilidade que nós temos em manipular os sons de nossa língua. Em outro artigo  afirmamos que ela pode ser entendida como a capacidade de percebermos que uma palavra pode começar ou terminar com o mesmo som. Além disso, a consciência fonológica é quando sabemos que existem também termos grandes e pequenos, assim também que há frases (e uma segmentação nessas orações).

Vale salientar que a partir dos 3 ou 4 anos a criança já pode ter essa consciência. O papel dos educadores é indispensável, pois o ambiente escolar permite que se trabalhe com categorias de brinquedos, cores, corpo humano, entre outros. Muitos não trabalham batendo palma, mas com algo concreto, o que facilita ainda mais a aprendizagem dos pequenos.

Os 3 exercícios que estimulam o processo de aprendizagem

-Trabalhar com rima.

Já imaginaram que algo muito comum na infância exerceria tanta influência? É isso mesmo. A utilização das rimas estabelece uma brincadeira com a sonoridade. Elas brincam com o som das palavras que têm sons parecidos. Portanto, músicas, versinhos e figuras que rimam são ideais.

Vocês podem brincar com as palavras panela e canela, pão e coração, iogurte e mamute; e por aí vai. Quando mostramos isso a elas, as crianças começam a perceber o mesmo som. Notem como é importante para a alfabetização.

– Trabalhar com pedaços de palavras.

Outra dica é trabalhar com palavras grandes e pequenas para complementar o aprendizado da consciência fonológica. Vocês apresentam a palavra bolo à criança da seguinte forma: Bo-lo (enfatizando a separação). Depois, o próximo passo é perguntar a ela quantas sílabas tem o vocábulo? Esse processo de estímulo é chamado de segmentação silábica.

Já na síntese silábica, por sua vez, ocorre a seguinte situação: você pode falar as partes das palavras para que a criança tente juntá-las e descobrir qual a palavra vocês estão querendo dizer. O objetivo é este: juntar as sílabas e induzir os pequenos a formar os vocábulos a partir da percepção proporcionada pela consciência fonológica.

– Trabalhar com aliteração

Esta dica funciona assim: pergunte à criança quais palavras começam com a letra A. Com isso, vocês podem dar algumas dicas, por exemplo: A – abacaxi, abacate, amor, avião; B – boneca, beliche, baleia, bola, bicicleta; C – coração, cachorro, camelo e por aí vai.

O trabalho com a consciência fonológica é essencial para estimular as pré-habilidades da leitura e da escrita. Isso se mostra excelente para que, pouco tempo depois, a criança consolide sua alfabetização.

 

Luciana Brites Psicomotricista

Compartilhe este artigo

Comments 2

  1. Acompanho os artigos pois tenho um tdah de 9 anos..E os vídeos e artigos me auxiliaram muito em como lidar..ensinar. mostrar .a vida para ele. .E no processo escolar muito do que aprendi na neuro saber me ajudou. .Tenho um menino que só tira notas altas, que ama a escola e que está se ajustando socialmente. Agradeço em nome de todas as famílias que talvez não teriam dinheiro para ter o acompanhamento adequado para o sucesso na criação das nossas crianças especiais.

    1. Suporte Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *