Alfabetização e consciência fonológica: como trabalhá-las?

Se a criança não tiver um bom desempenho em relação à consciência fonológica, ela terá grande dificuldade na alfabetização. Entenda melhor.

A consciência fonológica é um conjunto de habilidades que nos permite perceber o tamanho das palavras, as semelhanças fonológicas entre elas, as sílabas e os fonemas. Para que uma criança aprenda ler e escrever, ela precisa ter a consciência de alguns processos fonológicos da nossa língua.

Isso significa que a alfabetização começa com a consciência da palavra — a consciência silábica —  e só depois, se deve trabalhar a consciência fonêmica. As crianças podem ter contato com as letras, mas isso não é o mais importante no começo da alfabetização. Ela começa com a consciência das palavras, com marcação e medição do som das sílabas.  

Veja neste artigo como trabalhar a consciência fonológica na alfabetização.

Consciência fonológica na alfabetização: por que é importante?

A consciência fonológica diz da percepção da segmentação da fala e da habilidade de manipular esses segmentos. No processo de alfabetização, a criança vai desenvolvendo essa capacidade na medida que reconhece as palavras, as sílabas e os fonemas.

No entanto, antes de adquirir a consciência de fonemas, a criança precisa estar familiarizada com os sons da fala, para que ela possa manipulá-los e convertê-los em escrita.

O processamento fonológico é a nossa capacidade de compreender as palavras por som, por pausas, por sílabas. Na alfabetização, falar pausadamente, ajuda a criança a identificar  as marcações dos sons das sílabas. 

Como trabalhar a consciência fonológica na alfabetização?

O processo de alfabetização começa na educação infantil com atividades dinâmicas e lúdicas e no primeiro ano inicia o trabalho com a consciência silábica. Querer ensinar a criança a escrever ‘borboleta’ entregando para ela a palavra por escrito, não é um bom começo.

O primeiro processo é fazê-la entender a palavra ‘borboleta’. Em sala de aula, o professor pode fazer isso usando a imaginação, pode falar pausadamente enquanto bate palma ou dar pulos, por exemplo, marcando as sílabas. Falar devagar, ajuda a criança a entender que as palavras têm uma representação fonológica.

Enquanto estiver trabalhando a consciência silábica, não precisa se preocupar com a ortografia. O objetivo das atividades propostas é que a criança possa reconhecer as sílabas iniciais de uma palavra pelo som. Por isso, você pode preparar uma atividade com palavras que começam com o mesmo som — cenoura, serrote — mesmo que não sejam escritas com a mesma letra.

Atividades de consciência silábica

Uma boa dica de atividade de consciência silábica é essa que citamos acima. Coloque algumas figuras de palavras que começam com sons parecidos — serrote, cenoura, etc —  e peça para a criança identificar onde estão os sons parecidos.

O mais importante na consciência silábica é a criança se dar conta que a sílaba não é propriedade de uma palavra só. Por exemplo, o ‘ca’ da casa também está em boneca e em peteca. Quando a criança identifica isso, ela vai construindo uma consciência do nosso sistema de escrita alfabética.

Somente depois de trabalhar a consciência silábica, é possível inserir atividades com rimas e aliterações. Isso pode ser feito com palavras que terminam com ‘ão’, por exemplo: balão, joão, falando para as crianças e pedindo que elas identifiquem semelhanças.

Outra dica, é pedir que para a criança citar nomes de bichos que terminem com ‘to’, ou nomes de frutas que comecem com ‘ba’, e por aí vai. Nessas atividades é possível perceber se a criança pode perceber se as palavras terminam ou começam com o mesmo som.

Atividades com música também são divertidas e eficazes na alfabetização. Você pode escolher músicas infantis cantando e batendo palmas a cada sílaba. Outro exemplo é fazer um fantoche onde os personagens falam palavras trocando sílabas e pedir para as crianças apontarem esses erros.

Somente depois de trabalhar a consciência fonológica, é hora de se preocupar com as letras. Veja bem, nada impede de que isso possa acompanhar o processo de alfabetização desde o início, mas lembre-se que ela começa com a consciência da palavra, passa pela consciência silábica, rimas e aliterações e então chega na consciência fonêmica.

Começar a alfabetização propondo que a criança identifique som inicial vendo várias palavras escritas sem que ela tenha desenvolvido a consciência fonológica não vai funcionar. Esse trabalho inicial é o que a permitirá reconhecer as sílabas, as pausas da palavra para estar pronta para ler e escrever.

Restou alguma dúvida sobre consciência fonológica na alfabetização? Deixe nos comentários.

Referências:

LOPES, Flavia. O desenvolvimento da consciência fonológica e sua importância para o processo de alfabetização. Psicol. Esc. Educ. (Impr.) [online]. 2004, vol.8, n.2 [cited  2020-05-04], pp.241-243.

Compartilhe este artigo

Comments 3

  1. Todas as publicações postadas pela NeuroSaber são muito significativas em meu aprendizado. Só gratidão pelo compartilhamento de material tão rico.

  2. Aprendi muito e sei que ainda tenho que aprender mais!! Eu sou uma praticante de cursos on-line, tenho 25 cursos, nenhummmm se compara aos cursos da NeuroSaber! Realmente são os melhores!!!! Meu objetivo é realizar todos os cursos que a NeuroSaber disponibiliza!!

    1. Suporte Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *