Atuação do Terapeuta Ocupacional no processo de aprendizagem - NeuroSaber

Atuação do Terapeuta Ocupacional no processo de aprendizagem

Vocês já sabem que a educação conta com muitas parcerias que ajudam a impulsionar a atuação dos profissionais e, sobretudo, a fruição do conhecimento por parte dos estudantes. O artigo de hoje vai falar sobre uma presença que tem contribuído imensamente na vida de crianças e adolescentes: a do terapeuta ocupacional.

O que vocês sabem sobre esses profissionais?

O terapeuta ocupacional, segundo o CREFITO – 8 (Conselho Regional de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional da 8ª Região – Paraná) é a pessoa que detém formação nas áreas da saúde e do social. A intervenção proposta e executada pelos profissionais devidamente formados em Terapia Ocupacional é bastante ampla e aborda várias habilidades, como “condutas fundamentadas em critérios avaliativos com eixo referencial pessoal, familiar, coletivo e social; coordenadas de acordo com o processo terapêutico implementado”.

Além de atuarem em diversos ambientes, os terapeutas ocupacionais são responsáveis por um protagonismo interessante nas escolas. Tudo isso se deve ao fato desses profissionais terem o conhecimento necessário para lidar com os desafios trazidos pelas crianças à sala de aula, principalmente no que se refere ao processo de aprendizagem.

Sendo assim, veja como se dá a atuação do terapeuta ocupacional e como ele contribui imensamente com o desenvolvimento dos estudantes no contexto educacional; seja por meio de uma intervenção pontual que priorize a coordenação motora ou de exercícios que trabalhem com um conjunto maior.

O terapeuta ocupacional e o processo de aprendizagem de crianças e adolescentes

A participação desses especialistas é de total importância para a vida de estudantes que necessitam de alguma ajuda no aspecto escolar. No entanto, trata-se de algo mais direcionado para questões que envolvam a inclusão motivada por transtornos de coordenação motora, disfunção neuromotora, processamento sensorial ou múltipla deficiência.

Enquanto o papel do pedagogo é estimular o saber e as técnicas que promoverão a habilidade pedagógica da criança, o terapeuta ocupacional ficará incumbido dos pontos colocados acima. Há que se ressaltar a participação multidisciplinar de diversos profissionais que trabalham em prol do processo de aprendizagem de uma pessoa.

O papel do terapeuta ocupacional está na capacidade do profissional de oferecer as coordenadas ao aluno através de atividades que estimulem as faculdades do corpo com o processo de aprendizagem. Um exemplo a ser dado é o fato de as crianças descobrirem suas habilidades por meio de brincadeiras. Elas servem, então, de ferramentas que incentivam o desenvolvimento e o aprendizado da criança.

Além disso, o terapeuta ocupacional pode utilizar tais tarefas para trabalhar os seguintes aspectos sensoriais: visual, audição e tátil (imprescindíveis para o conhecimento da criança, sem contar com a possibilidade da construção de conceitos importantes para sua formação: espaço, tempo, cor, profundidade, etc.).

O terapeuta ocupacional e o professor

Essa parceria merece bastante atenção, pois um precisa do outro de forma significativa. Ambos podem trabalhar com o aprimoramento de habilidades que refletem na vida acadêmica do aluno, como a coordenação grafomotora, por exemplo. Por meio de atividades lúdicas e pedagógicas, o protagonismo dos dois profissionais tende a promover a evolução do aluno e o acesso a uma qualidade de vida muito melhor.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

CONTACT US

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Enviando

2015 / 2017 Neuro Saber. Todos os direitos reservados.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?