Brincadeiras simples para desenvolver coordenação motora das crianças - NeuroSaber

Brincadeiras simples para desenvolver coordenação motora das crianças

Ouve-se com frequência nos consultórios: “Doutor, estou preocupado com o futuro de meu filho na escola e gostaria, desde já, de comprar brinquedos que poderiam estimular mais cedo habilidades que o preparem para chegar mais apto para a aprendizagem escolar. O que devo fazer? Quais brinquedos posso adquirir?”.   Esta dúvida cerceia com muita frequência as angústias dos pais que querem ver seus filhos atingirem o que se esperam deles nas escolas. Além disto, sempre vem a ideia atraente de aquisição precoce de competências para redução de danos futuros quando os processos escolares se tornam, progressivamente, mais complexos.

A aprendizagem escolar é um processo sequencial de aquisição de competências que basicamente devem proporcionar aos alunos se apropriarem da leitura, escrita e matemática. A construção destas habilidades devem ser, antes de tudo, alicerçadas por habilidades cognitivas mais básicas, que podemos chamar de pré-requisitos. Como pré-requisitos básicos, podemos estimular na infância atividades neuropsicomotoras que envolvem atenção seletiva e sustentada, coordenação motora, memória sequencial, consciência fonológica e numérica, espacialidade, funções executivas e lateralização.

Dentre estas, o desenvolvimento da coordenação motora é uma das mais importantes, pois permite que a manipulação sequencial de objetos auxilie a criança em treinar ritmo, persistência e controle inibitório nas atividades;   estimula a repetir ações previamente observadas que ajudam na sua memorização e na sua organização; proporciona à criança auto-corrigir falhas ou exageros que possa ter cometido durante o ato motor;   ela passa a aprender a utilizar ferramentas diversas para resolução dos mais diversos problemas e desafios que porventura aparecerão; ajuda no controle motor e na relação deste com o tempo de concluir as ações.

Quais brincadeiras poderiam auxiliar e estimular a criança em todos estes processos descritos acima?

1) Manipulação de revistas (folhear, rasgar o papel, amassar, enfim… brincadeiras que auxiliem manipulação motora).

Esta atividade ajuda a criança a controlar melhor sua ação motora para poder rasgar e amassar direito e com limites, ajuda ela a manipular materiais para transformá-los em novos materiais estimulando a criatividade, a percepção visual, a atenção sustentada para persistir na atividade até concluí-la, reduzir movimentos inúteis ou desestabilizadores para fazer direito a atividades, etc. Além disto, manipular este tipo de material deixa a criança mais íntima e familiarizada com letras, números e material impresso.

2)   Massinha: fazer pão, biscoito ou simplesmente massinha.

O uso de massinhas, além de muito prazeroso para a criança, ajuda-a a criar formas e abstrair imagens no concreto auxiliando no auto-controle, na atenção e na coordenação motora sequencial. Massinhas coloridas e associação com espátulas dinamiza mais este recurso ajudando-a a visualizar e materializar novas formas e novos objetos que serão criados a partir de uma massa sem forma definida.

3)   Enfiagem de macarrão em fios ou com barbantes coloridos.

Esta atividade ajuda a criança a “acertar o alvo” do buraco ao qual deverá introduzir o barbante. Isto estimula a atenção, a coordenação motora fina e prepara a criança para o uso futuro do lápis, pois simula a ação que envolve este instrumento. Este tipo de brincadeira pode ser ampliado unindo objetos, formando letras e números, aprendendo a dar nó, pendurando coisas, unindo formas e ajudando a criança a memorizar sequências de tarefas.

4)   Dedoches.

Imagens e totens que podem ser fixados nos dedos das crianças podem ser muito úteis para coordenação motora, pois auxiliam no uso dos dedos para teatralizar personagens numa sequência de histórias. Isto permite à criança aprender a associar palavras com ações coordenadas, unindo processos de linguagem ao processamento visual e decisão de movimentar determinados dedos.

5)   Pintura com guache.

Usar pincéis para pintar é um recurso valioso para a coordenação motora, pois permite que as crianças controlem melhor a preensão do pincel, sintam a consistência do instrumento sendo pressionado no papel, compare a necessidade de colocar mais tinta de acordo com o que fica representado no plano do papel. O guache seca rápido, não? Então, a criança deve agilizar a pintura para que resulte numa imagem homogênea estimulando-a a usar o tempo como um modulador da prática motora.

6)   Dobraduras simples.

As dobraduras estimulam noção de proporção, espaço, linearidade na ação motora, criatividade, atenção seletiva e sustentada e memorização de formas e sequências. Dependendo do material que será dobrado, ajuda a criança a usar sua força de acordo com a resistência do material.

Enfim, estas brincadeiras devem ser realizadas em casa e na escola a fim de sejam amplamente desenvolvidas pela criança antes que ela chegue na fase de alfabetização. Além disto, engajam os pais a participarem de meios lúdicos junto aos seus filhos aprofundando as relações afetivas e conhecimento espontâneo acerca do que seu filho gosta e de como ele reage a desafios e erros. As brincadeiras representam muito mais do que parece, não?

2 Comentários
  1. Juliana Barboza 4 meses atrás

    Infelizmente não tinha toda essa informação antes pra ajudar ainda mais meu filho com TDAH, mas meu caçula vai se beneficiar 😄

  2. MARIA LUIZA DOS REIS DIAS SANTOS OC-BA-G6-T1 4 meses atrás

    As UE devem estar preparadas para a aprendizagem de crianças com tais transtornos, para que o desenvolvimento destas venham ser satisfatório.

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

CONTACT US

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Enviando

2015 / 2017 Neuro Saber. Todos os direitos reservados.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?