Atividades Psicomotoras para Educação Infantil

A importância das atividades psicomotoras está no fato de tais tarefas trabalharem direta e indiretamente com a coordenação motora e seus diferentes aspectos, além da cognição da criança. A psicomotricidade é indispensável para o desenvolvimento de todo indivíduo; e, quando estimulada de forma adequada, ela tende a ser o elemento principal desse processo que resulta na autonomia do pequeno tanto no quesito motor quanto cognitivo.

A psicomotricidade na educação infantil

A grande vantagem em torno da prática das atividades psicomotoras está no fato de que elas contribuem muito para a experiência do aluno no contexto pedagógico. Afinal, elas são responsáveis por prover competências indispensáveis ao desenvolvimento, tais como a lateralidade, a noção espacial, a organização, a estruturação espacial e o esquema corporal.

A realização dessas tarefas representa a importância que a psicomotricidade simboliza na educação infantil. Para se ter ideia da eficácia das atividades psicomotoras, podemos afirmar que elas estimulam até mesmo questões ligadas à comunicação, uma vez que as crianças usam bastante os gestos.

Atividades psicomotoras para a Educação Infantil

Dentre as atividades que lidam com a psicomotricidade da criança no contexto escolar, podemos citar algumas (de várias) que são bastante interessantes para a prática. Vejam quais são a seguir:

– Atividades grafomotoras

Esses exercícios procuram estabelecer na criança a noção de movimentos motores na escrita e em outros registros gráficos. No entanto, devemos lembrar que essa prática deve acompanhar o desenvolvimento da criança, ou seja, a faixa etária em que ela se encontra. A grafomotricidade deve ser aprendida a partir do nível sensorial, perceptivo e integrativo.

– Atividades de coordenação viso manual

Essas tarefas são responsáveis por envolver tanto a visão quanto a habilidade manual. Elas ajudam muito no desenvolvimento da coordenação motora fina. Geralmente, aqueles trabalhinhos com massinhas, construir bloquinhos e outros são muito atrativos para os pequenos.

– Atividades que utilizam prioritariamente a visão

A psicomotricidade também conta com a visão para potencializar as habilidades das crianças. Nesse caso, os exercícios que apostam no fator visual são recomendáveis para incutir nos pequenos a questão da coordenação motora a partir da visão, ou seja, as crianças vão acompanhar as etapas do processo pelo olhar para depois praticar com as mãos. É um acompanhamento para depois partir para a realização de fato.

Além das categorias citadas acima, podemos salientar que aquelas cuja lateralidade é estimulada também representam muito na busca pelo desenvolvimento psicomotor da criança. Os exercícios de habilidades conceituais também merecem destaque.

Benefícios começam pelo cérebro

É válido ressaltar que esses exercícios demonstram seu benefício, especialmente, no cérebro. Isso ocorre porque as atividades psicomotoras tendem a gerar um aumento da percepção da criança a tudo que está em seu redor. Quanto maior a prática dessas tarefas, mais integradas ao ambiente ela também estará. Esse despertar da própria capacidade é extremamente positivo para a autoestima do aluno, uma vez que ele terá a sensação de pertencimento cada vez mais forte.

Quem pode recomendar as atividades psicomotoras?

Diante do poder que a psicomotricidade representa, nada mais indicado que um profissional que trabalhe com essa área. Os psicomotricistas, por exemplo, são especialistas em aplicar intervenções que trazem a eficácia necessária para o aspecto psicomotor das pessoas. Vale ressaltar que esses profissionais lidam com tratamentos que contam com a multidisciplinaridade na realização de suas ações.

O papel da escola nesse processo

As atividades psicomotoras são fundamentais para as crianças e a escola exerce uma participação especial nesse caminho. É preciso que o corpo pedagógico da instituição conte com estrutura que possibilite a aplicação de tais atividades; não somente questão material, mas no trabalho em conjunto de professores com profissionais de outras áreas, como os psicomotricistas. Um trabalho em conjunto que faz toda a diferença.

Compartilhe este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *