Avaliação Interdisciplinar em caso de hiperlexia

A hiperlexia é uma alteração que permite à criança uma facilidade enorme para lidar com a memorização de letras e números. Esse distúrbio ocorre em idades muito precoces; geralmente, bem antes da fase habitual de alfabetização.

Leitura antes dos 4 anos: isso é possível?

É comum encontrar casos de bebês de 18 meses, 2 e 3 anos (hiperlexia) que já consigam identificar esses símbolos e, até mesmo, ler uma palavra inteira.
Esse fenômeno pode estar ligado a condições médicas, sobretudo o Transtorno do Espectro Autista (TEA) – em muitos casos as crianças podem estar incluídas dentro do conjunto de sintomas que configuram a Síndrome de Asperger.

O detalhe que requer bastante atenção dos adultos

O grande problema disso tudo é que uma pessoa com hiperlexia pode não ser considerada como autista por conta dessa ‘facilidade’ citada, mas quando analisada mais detalhadamente, percebe-se um déficit de comportamento relevante.

Apesar de dominar uma habilidade precocemente, os pequenos não conseguem se socializar, não se comunicam bem e não compreendem a interpretação daquilo que leem. Em tal idade, as crianças não têm o raciocínio adquirido, mesmo mostrando algo aparentemente notável (com o fato de ‘saber’ identificar letras e números).

A importância do aspecto interdisciplinar

A interdisciplinaridade da avaliação em casos de hiperlexia é importante em função dos especialistas de diferentes áreas. Para muitas pessoas, as crianças estão dentro da normalidade, mas somente com a observação desses profissionais, alguns critérios serão levados em conta: como a criança lida com seus pares, quais são os obstáculos sociais, como é o desenvolvimento da fala e o uso da linguagem de um modo geral.

O fato de haver tal análise por meio de neuropediatras e psiquiatras, em um primeiro momento, é um facilitador para se chegar ao diagnóstico. Logo depois, a criança precisará passar por tratamentos com profissionais diversos: fonoaudiólogos, psicólogos, analistas comportamentais, psicopedagogos, psicomotricistas, entre outros. Isso é importante para que haja um trabalho que abarque todas as necessidades do paciente.

Na escola, uma atitude que pode servir para ajudar a criança com Hiperlexia, através dos educadores, é integrá-la à turma regular, ou seja, com os alunos que conseguem desenvolver a habilidade da fala dentro dos limites da faixa etária em questão. Além disso, esse contato diário favorecerá a socialização do pequeno com seus colegas de classe.

Que procedimentos devem ser tomados para uma intervenção adequada?

– Procurar uma equipe que ofereça intervenções interdisciplinares, pois desta forma haverá muitas chances de os profissionais trabalharem os pontos que precisam ser desenvolvidos, tanto na vida escolar quanto familiar;

– Vale ressaltar que dentro do tratamento citado acima é importante mencionar a presença de fonoaudiólogos (citado acima), tamanho o desafio que os pequenos encontram com a linguagem oral em detrimento das palavras impressas. É relevante que eles consigam dominar a oralidade.

– Outro atrativo para as crianças são os dispositivos eletrônicos, sendo que o pequeno diagnosticado com Hiperlexia tem um estímulo visual bastante aprimorado. Nesse caso, os tablets contam com jogos educativos que tendem a atrair a atenção da criança.

Compartilhe este artigo

Comments 1

  1. olá!
    Meu filho tem 2.3m e já conhece todo o alfabeto, fala todas as vogais e tenta falar algumas consoantes. Conhece tb os números de 1 a 15.
    Isso é hiperlexia?
    Ele nao fala em razão de ter desenvolvido mais a linguagem escrita?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *