Bipolaridade Infantil: conheça os sinais e tratamentos

Por acaso vocês já ouviram falar sobre bipolaridade infantil? O tema não é inédito e tem um grande respaldo da comunidade científica. De qualquer maneira, pais e profissionais ainda podem encontrar dificuldades para conceber o quanto isso afeta as crianças e até mesmo quais são os sinais que evidenciam essa condição, reconhecida pela ciência como Transtorno Bipolar.

O que é o Transtorno Bipolar?

Ele é considerado por especialistas da área da saúde como um distúrbio psiquiátrico complexo, no qual a alternância de humor costuma ser a característica mais marcante. A pessoa pode apresentar momentos de depressão e irritabilidade ou de grande euforia.

No entanto, dentro desses dois polos existem outros sinais perceptíveis no dia a dia dos indivíduos, pois esses traços são marcantes. A bipolaridade infantil não fica atrás e apresenta traços que precisam de atenção dos adultos que estão por perto.

Quais são os sinais da bipolaridade infantil?

• Momentos de humor e excitação bastante elevados: felicidade ou irritação excessiva;
• Comportamentos que podem colocar a criança em situações perigosas: pular de lugares altos, por exemplo.
• O pequeno tenta mostrar superioridade em suas ações; assuntos de conversa com uma conotação de grandiosidade: só ele tem superpoderes, ninguém pode com ele, todos têm de fazer o que ele mandar, etc.
• A criança não sente tanto sono;
• A fala do pequeno é muito rápida; além disso, ele muda rapidamente de um assunto para outro sem encerrar o que havia começado;
• É possível notar o envolvimento em vários projetos escolares e em outras atividades no geral, mostrando grande disposição;
• Humor deprimido ou irritável em parte considerável do dia;
• Grande diminuição do interesse ou prazer em todas ou em quase todas as atividades;
• Perda ou ganho de peso de maneira significativa;
• Fadiga ou perda de energia;
• Agressões a terceiros ou a si mesmo. Em casos extremos, a criança pode tentar o suicídio;
• Recusa a ir à escola;
• Dificuldade para organizar a informação;
• Baixo controle dos impulsos;
• A criança pode manifestar prejuízo na memória episódica;
• Dificuldades em adquirir autonomia social;
• O pequeno presenta altos e baixos de aproveitamento acadêmico, que decai de forma inesperada e demora a ser recuperado devido às oscilações do humor presentes em seu cotidiano.

Quais são os tratamentos mais indicados?

Na verdade, existe uma série de tratamentos para diminuir os efeitos da bipolaridade infantil. Há intervenções que podem ser feitas na escola com uma equipe formada por psicopedagogos; outros tratamentos contam com o auxílio de psicólogos, analistas comportamentais, psiquiatras e demais especialistas da área.

O uso de medicamento deve ser acompanhado com cautela. Somente os profissionais devem receitar os fármacos que têm a função de auxiliar a criança junto com as intervenções. Por isso o contato com especialistas é imprescindível.

Um paciente com bipolaridade infantil pode também encontrar meios eficazes de amenizar a ocorrência dos sintomas por meio da psicoterapia. Estudos revelam que intervenções proporcionam o desenvolvimento de habilidades que, sem nenhuma intervenção, não possibilitam os pequenos e os jovens a uma vida com mais bem-estar. A psicoterapia favorece essa habilidade.

Compartilhe este artigo

Comments 4

  1. Muito interessante esse assunto, acho que meu filho se encaixa nesses sintomas..

  2. gostei destas informações sou professora de educação infantil e gostaria de receber informações no meu email.

    1. Adriana Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *