Caderno de Caligrafia é válido?

Hoje vamos falar um pouco sobre a questão do caderno de caligrafia. Muitas pessoas se perguntam se ele é importante. Pode-se afirmar que sim, mas é preciso fazer uma análise. O caderno é útil para a estimulação e organização da letra.

O caderno de caligrafia resolve os problemas da escrita em geral?

Não, ele não resolve todos os problemas relacionados à escrita. Os casos de disgrafia ou uma letra feia, por exemplo, não são solucionados somente com esse material.

O ponto que deve ser revisto é o fato de vermos educadores que passam o caderno de caligrafia para os pequenos e não trabalham aspectos indispensáveis: habilidades visuais, preensão, força e coordenação motora. Todos estes quesitos são imprescindíveis para o desenvolvimento da escrita.

Muito além dos movimentos das mãos?

Quando falamos na questão da letra, não nos referimos apenas ao uso da mão, mas da coordenação do cérebro. Vale ressaltar que uma letra bem organizada e desenhada precisa de atenção, ritmo, dentre várias situações importantes.

O que precede a caligrafia e deve ser estimado?

É preciso trabalhar algumas questões antes da caligrafia. Necessita-se, por exemplo, desempenhar pré-requisitos importantes como a coordenação ocular. Geralmente, o caderno de caligrafia é usado entre o 3º e o 4º ano. No período que antecede essa fase, é interessante investir na qualidade de organização da letra.

Além disso, é importante lembrar que a letra tem a ver com aspectos emocionais e individuais de uma pessoa. Em outras palavras, a letra é a expressão dos indivíduos. O uso do caderno é bom para automatizar essa questão.

Como proceder com crianças que convivem com autismo?

No autismo é preciso ir com mais calma ainda, pois essas crianças têm uma dificuldade em autorregulação. Deve-se estimular uma escrita adequada e que seja correta. Um traçado bem desenvolvido da letra. Isso estimula a cognição do pequeno.

Infelizmente, nota-se uma carência em muitas escolas, principalmente quando as crianças demonstram que não sabem copiar os conteúdos do quadro. Portanto, é muito importante estarmos atentos a esses detalhes.

Como fica a questão da tecnologia?

Nota-se uma quantidade enorme de crianças que utilizam tablets. A escrita não é só trabalhar com a mão, mas é preciso desenvolver habilidades cognitivas. Não adianta estimular práticas dos dedos da mão e não desenvolver a memória de trabalho, a atenção e a coordenação visomotora.

Pode-se trabalhar a caligrafia na adolescência?

Na adolescência, a caligrafia pode ser trabalhada, mas com afetividade para que os jovens também possam desenvolver a expressão escrita. É importante para despertar capacidades e talentos.

É verdade que crianças com epilepsia demoram mais para escrever?

É preciso saber qual a influência da medicação, pois dependendo desse remédio, a reação pode provocar um efeito adverso, como movimentos mais lentos para escrever. Lembre-se sempre: cobre por qualidade e não quantidade.

Importante saber

– Uma pessoa que começa a aprender a letra cursiva durante a alfabetização, ela tem menor possibilidade de ter erros ortográficos.

– Há profissionais que aplicam caderno de caligrafia já no primeiro ano. Importante ressaltar que neste período a criança está começando a aprender a aperfeiçoar a letra, assim como seu desenho. Se você usar esse caderno com seus alunos do 1º ano, você tende a colocá-los em uma situação mais difícil para o aprendizado deles.

 

Compartilhe este artigo

Comments 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *