Características de jovens e crianças com TDAH

Quem convive com uma criança e jovem que tenha TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção) sabe que o tratamento diário requer atenção a mais. No entanto, mesmo o contato diário com elas pode suscitar algumas dúvidas por parte de pais e profissionais.

Para começo de conversa é importante dizer que nem todo TDAH apresenta hiperatividade, mas uma regra entre eles é a desatenção. Isso significa uma grande importância para a equipe médica ou pedagógica que avaliará o jovem e a criança. Lembre-se que informação é tudo, além de ajudar na busca do melhor tratamento.

Importante saber

O TDAH é um transtorno neurobiológico, genético, hereditário. Isso significa que o transtorno identificado na criança pode vir do pai ou da mãe; de um primo ou de uma tia. O TDAH também encontra em fatores ambientais motivos para sua ocorrência, a saber: nascimento com baixo peso, bebês prematuros ou mãe que fuma durante a gravidez.

O uso de outras drogas, inclusive o álcool, também pode influir no aparecimento do transtorno em crianças. Portanto, todo cuidado é pouco no período da gestação e o acompanhamento médico é fundamental.

TDAH em dois tipos

O TDAH apresenta dois tipos distintos, com um detalhe importante: o TDAH combinado é aquele em que a criança apresenta a hiperatividade, a impulsividade e o déficit de atenção. Já o TDAH desatento é caracterizado quando a criança demonstra apenas a falta de atenção.

Em que idade o TDAH pode se manifestar?

O TDAH se manifesta, geralmente, antes dos 7 anos de idade. Em 95% delas, o transtorno se revela antes dos 12 anos. É importante salientar que o TDAH ocorre na fase de desenvolvimento da criança.

Alguns dados sobre o TDAH

O transtorno afeta 6% das crianças (ou 11% em algumas estatísticas) e 3% dos adultos. O déficit de atenção traz grandes prejuízos à criança no que diz respeito o aprendizado. Importante ressaltar que 80% das crianças com o transtorno têm grandes chances de continuar TDAH na adolescência. Da adolescência para a fase adulta, esse número vai para 50%.

Características

O TDAH se constitui por uma excessiva dificuldade em manter o foco em uma atividade que exija esforço mental prolongado; uma atividade que precise ser desempenhada com regras, prazos pré-determinados. Além disso, crianças com déficit de atenção têm dificuldade para começar e terminar suas tarefas.

Outra dificuldade é a de rever situações e erros; dificuldade de fazer conclusões, síntese e análise de atitude. As crianças com TDAH tendem a ser mais esquecidas, desorganizadas e perdem-se em tarefas. Além disso, há mais características:

– Tendem a ter rendimentos escolares e rotineiros mais baixos;

– Podem ser completamente introspectivas;

– Problema de memorização, capacidade de organização e interiorização de conceitos e aprendizagens;

Diagnóstico tardio é sempre prejudicial

Procurar o diagnóstico muito tarde pode provocar lacunas consideráveis no processo de aprendizagem de leitura e matemática. Isso, certamente, causará dificuldades preocupantes na vida acadêmica do aluno.

E na escola?

Em sala de aula, é importante saber e conhecer o diagnóstico. É importante o pedagogo saber se a criança está sendo devidamente medicada. Depois, é imprescindível melhorar a didática (de forma objetiva), alterar o tom de voz, ensinar de maneira interessante; tudo para que ela se sinta recompensada pelo processo de aprendizagem.

Tratamento adequado

A criança precisa ser avaliada de maneira global e interdisciplinar para que os profissionais vejam se há outras comorbidades e, assim, propor uma intervenção adequada para o devido tratamento.

Assista nossa Live com o Dr. Clay Brites:

Compartilhe este artigo

Comments 61

  1. Olá!
    Tenho um aluno co de TDAH epresenta características com: impulsividade, desafiador, interfere negativamente no grupo por necessidades de lidarar, dificuldade de cumprir regras, baixa tolerância ao não. Contudo tem habilidade acima da média. Tem boas notas e fácil concentração em atividades de seu interesse, buscando concluí-los com sucesso.
    Percebo que na família, falta estruturas favorável nas questões éticas e falta de limites.
    Então é possível questionar este diagnóstico?

    1. meu irmao tem isso mas tem excelente memoria, sempre foi otimo aluno, so q é mto disperso e introspectivo. e nao gosta de coisas lentas e rotineiras. o trabalho tem q ser ativo e ter coisa pra fazer sempre, pq fica entediado . teimoso e nao aceita nao tb.

      1. NeuroSaber Responde
        1. boa noite fui ler com 11 anos, não conseguia nem circular o lápis em pinguinhos .Minha mãe me mandava para a escola eu rabisca o caderno inteiro ,mais não conseguia aprender. BOM MUDEI PARA UM OUTRO ESTADO E GRAÇAS A DEUS UMA PROFESSORA ME AJUDOU. HOJE SOU musico , tenho formação ,sou agrônomo e as coisas mudaram.Mais cheguei pensar que era impossivel eu aprender.

  2. Pingback: O que é TOC na Infância? - NeuroSaber

  3. Muito obrigada Dr Clay, por essa iniciativa, estou fazendo pós em neuropscicopedagogia e suas lives, são muito esclarecedoras, contribuindo muito para minha formação!

  4. Muito grata com as explicaçoes que vocês nos passam. Estou aprendendo muito e buscando ajuda especializada para meu neto.

  5. O texto ficou bastante esclarecedor. deve ser utilizado comoinformação básica para professores do ensino fundamental I.

  6. Boa noite. Em relaçäo ao TDH,,qua di a cça näo tem foco nas aulas,,apresentam dificuldade de centrar nas aulas, é inteligente MAs muito agitado. E professores exigindo que nas aulas permanecem sentadas,,a Escola näo teve o olhar enquanto Escola. Chamam os pais Para conversar. Qual deve ser o posicionamento da Direçäo da Escola com is paid.

  7. Gostei muito do vídeo, pois o meu filho tem e foi diagnósticado com 6
    Anos e tomar medicação
    Os primos da parte do meu pai a maioria tem

  8. Por mais que sejam divulgados os transtornos é difícil os educadores entender, pois acham que é falta de educação e problemas familiares.

  9. Lu, amei esse artigo. Meu filho tem 15anos e até agora não sabe ler nem escrever. Percebi que tem muita coisa no artigo que se identifica com o comportamento dele. Mas me pergunto. Porque os profissionais que acompanham ele nunca me falaram sobre o TDAH?

  10. Meu filho tem 4 anos e meio e foi diagnosticado com TDAH e TOD. Participamos de uma pesquisa no IPQ do Hospital das Clínicas em SP onde o diagnóstico foi fechado. Indicado tomar Ritalina dividido em 2 doses de 2,5mg manhã e tarde. E continuar com terapia. Ele pode tomar medicação nessa idade ou devo esperar. Ele está com prejuízo social e escolar.
    Obrigada
    Glauci

  11. Pingback: Dicas para lidar com crianças com Transtorno Opositivo Desafiador - NeuroSaber

  12. Pingback: Disgrafia: letra feia pode ser sinal de mais problemas - NeuroSaber

  13. Pingback: Birra além da conta: sem limites para contrariar regras – Vida e Ação

  14. Pingback: Como lidar com transtorno de comportamento na escola? - NeuroSaber

  15. Pingback: Como lidar com crianças com Síndrome de Down? - NeuroSaber

  16. Pingback: Como trabalhar TOD na escola? - NeuroSaber

  17. Pingback: Quais problemas o TDAH pode apresentar? - NeuroSaber

  18. Pingback: Como tratar o diagnóstico de TDAH na escola? - NeuroSaber

  19. Adorei a Live. Sou estudante de neuropsicopedagogia e também sou professora. Essas informações contribuem de forma relevante para o conhecimento do assunto. Foi muito esclarecedor para mim. Parabéns pela iniciativa!

    1. Obrigada Angelica! acompanhe as neurolives pelo canal da neurosaber no youtube e mais aulas e artigos pelo site.Abraços

  20. Pingback: Distúrbio do Processamento Auditivo Central e TDAH - NeuroSaber

  21. Pingback: TDAH: Dificuldades de Aprendizagem na Escola - NeuroSaber

  22. Amei a live .Quero estar aqui sempre. Tenho certeza que meus alunos iram me agradecer a partir de agora estarei sempre atenta a eles.

  23. Gostaria de saber qual medico devo me dirigir em primeiro lugar,para saber se uma criança de 1 ano e 7 meses tem Tdah .Nao. sei quais os primeiros passos.

  24. Pingback: Transtorno opositivo desafiador no TDAH - NeuroSaber

    1. NeuroSaber Responde
  25. Achei completamente interessante e enriquecedor por dois motivos, o primeiro por ser pai de diagnosticado com TDAH, e segundo por ser aluno do 7º período de psicologia e ao realizar o estágio de aconselhamento psicológico me deparar com um cliente de 6 anos de idade também já diagnosticado com TDAH e suspeita de TEA. Esta live me ajudou de mais, vou está sempre pesquisando neste site. Moro no interior de Minas Gerais em Ipatinga.

    1. NeuroSaber Responde
  26. A técnica neurofeedback scaba com a tdah? Substitui o medicamento?

    1. NeuroSaber Responde
  27. Pessoal boa noite! Lendo um pouco das descricoes ainda tenho dúvidas quanto a um diagnóstico positivo. Minha filha tem 2,8 anos, é muito inteligente e responde bem a brincadeiras de raciocínio rápido porém apresenta muita dificuldade para dormir acordando até 3X durante a noite. Sempre agitada, movimentos bruscos, acordando chorando.
    A que tipos de especialistas devo procurar? Obrigado desde já…

    1. NeuroSaber Responde
  28. Minha filha possui TDAH, tem 9 anos e recentemente foi reprovada no 3º ano, por motivo de falta de interpretação em textos e problemas matemáticos. O procedimento da escola está certo? Ela não está respaldada em lei? Não sei como agir corretamente.

    1. NeuroSaber Responde
  29. Ontem a Neuropediatra, o psicólogo e a psicopedagoga da escola da minha filha de 7 anos fecharam o diagnóstico de TDHA, Ela é super inteligente mas tem uma grande dificuldade de concentração… se dispersa rapidamente e vive no mundo da Lua. Ela estudava em outra escola e nunca haviam me alertado sobre isso ( acho que falta preparo nesse ponto nas escolas) e eu sempre desconfiei que algo estava errado… mas diziam que ela é preguiçosa e que iria passar… ela é quieta, calma, educada e muito introspectiva. Sempre taxada de menina maravilhosa e educada… mas nunca se defendeu de ofensas, do bulling que sofreu e sempre chorou quietinha. Agora entendemos melhor o comportamento dela e vamos cuidar e dar apoio. Ela vai tomar Ritalina e fazer terapia e eu e o pai dela também iremos na terapia para mudar o nosso comportamento com ela… sempre a apressamos muito, nos irritamos e até gritamos com ela… agora percebemos que nao era culpa dela e temos que mudar isso!

  30. Meu filho tem o TDAH mas no quesito ser tímido, ele não é, ele é bem amoroso, mas acho que o TDAH dele deve estar muito alto.

    1. NeuroSaber Responde
  31. Sou professora de reforço particular, e uma aluna minha tem o TDAH desatento, gostaria de receber algumas dicas de como trabalhar com ela, pois estou com muitas dificuldades, pois ela foi diagnóstica tarde, e ainda esta na fase de alfabetização! Eu estou me especializando em psicopedagogia, mas ainda estou no inicio então nao sei muito como trabalhar!

    1. NeuroSaber Responde
  32. Olá, eu gostaria de saber se esse artigo foi escrito pelo Brites e quando foi publicado esse artigo aqui (não consegui encontrar) e gostaria de ter certeza pois vou utilizar alguns pontos como referencia no meu tcc.

    1. NeuroSaber Responde
  33. Nossa! Como esses relatos juntamente com as palestras , me ajudarãm, tenho meu filho João com 10 anos comTDAH combinado!
    Por conta disso, estou mudando ele de escola .Estar sendo muito dificil…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *