Como conduzir os problemas escolares no TDAH?

Um dos maiores desafios de educadores é encontrar uma maneira de contornar os detalhes evidenciados pelos problemas escolares em crianças com TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Isso é explicado pelo fato de as pessoas que convivem com o TDAH manifestarem sintomas caracterizados pela distração ou inquietação. Ambos os extremos influenciam diretamente na recepção de conteúdos o que, em outras palavras, significa uma dificuldade em entender o que seus professores passam através das aulas e dos exercícios.

Diante do exposto, evidencia-se uma necessidade de muitos professores em conhecer algumas técnicas que podem ajudá-los na condução dos problemas escolares. Lembrando que a confirmação de TDAH em alunos deve ser comunicado aos pais e à equipe pedagógica imediatamente para as devidas precauções.

O que pode ser feito?

O primeiro passo é que a escola esteja a par do que ocorre para que, assim, a instituição participe do processo terapêutico do aluno, oferecendo-lhe caminhos que proporcionem a absorção de conteúdos de maneira satisfatória e eficiente.

Vale lembrar que grande parte desses alunos costuma enfrentar as seguintes situações em sala aula:

– Dificuldade de memorização de sequências;

– Não percebem detalhes;

– Reincidem sempre nos mesmos erros;

– Desorganizam-se constantemente;

– Esquecem conteúdos correlacionados ao tema principal;

– Perdem-se nos eventos que são paralelos ao evento principal de uma determinada matéria, no passo-a-passo das fórmulas e dos conceitos das matérias mais decorativas ou monótonas.

A partir do conhecimento da instituição acerca do caso do aluno com TDAH, os problemas escolares devem ser acompanhados de perto pelos professores a partir de determinadas medidas.

Quais iniciativas são as mais ideais?

Muitas escolas usam três estratégias que visam ao aprimoramento das crianças e jovens com TDAH. Esses pontos são os seguintes: didática em sala de aula, meios de avaliação e apoio organizacional.

– Didática em sala de aula: táticas que procuram reforçar a concentração do aluno com estratégias conhecidas, como a mudança no tom de voz para determinados assuntos; mudança de lugar (levar o aluno para mais próximo do professor); realizar aula com motivação; contextualizar a aula a alguma situação presente no cotidiano do estudante, entre outros.

– Meios de avaliação: aqui os educadores devem ter total atenção à forma a qual os exercícios, exames e outras atividades estão sendo aplicados. É importante frisar que quanto mais chances os professores oferecerem com alternativas, mais chances os alunos terão de desempenhar um bom trabalho. Essa tática inclui provas com enunciados objetivos, sem rodeios e que facilite forma íntegra a compreensão do aluno com TDAH.

– Apoio organizacional: nessa etapa, o educador fica responsável pela criação de uma rotina estabelecida para ser seguida pelo aluno a fim que a criança consiga realizar as atividades indicadas para ele. É importante salientar que esse apoio organizacional servirá como um lembrete para o estudante.

Problemas escolares no TDAH e coordenação motora: existe relação?

Embora muitas pessoas desconheçam essa relação, devemos dizer que ela existe sim. Vários casos de déficits na educação são causados por conta disso, sobretudo em crianças com TDAH. Tudo isso porque o TDAH afeta o desenvolvimento psicomotor do pequeno, sobretudo as seguintes áreas: o Equilíbrio, a Noção Espaço-temporal e o Esquema Corporal. Vale ressaltar que nesses casos de comorbidades no TDAH, o terapeuta procura trabalhar todos os métodos para diminuir os déficits que são observados nos pequenos.

 

Luciana Brites Psicomotricista

Compartilhe este artigo

Comments 5

  1. Amei muito fácil a compreensão para usarmos no dia a dia com nossos alunos .
    Parabéns ao trabalho da equipe da Neurosaber muito interessante a maneira de conduzir o ensinamento ao qual nós educadores precisamos.

    1. Adriana Matias
  2. Parabéns, leitura de fácil interpretação…gosto de todos os artigos esclarecedor pra nós educadores.

    1. Adriana Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *