Como é o tratamento de Transtorno Bipolar na Infância?

O Transtorno Bipolar, de acordo com especialistas, é um distúrbio psiquiátrico complexo marcado pela alternância de humor. Essa característica é a mais marcante nos pacientes. Essa condição faz com a pessoa apresente grande euforia ou alta irritabilidade em um tempo curto.

Sinais variados do Transtorno Bipolar

Por outro lado, é preciso salientar que existem mais sintomas que podem indicar a incidência do Transtorno Bipolar, são eles:

  • Humor deprimido ou irritável em parte considerável do dia;
    • Comportamentos que podem colocar a criança em situações perigosas: pular de lugares altos, por exemplo;
  • Momentos de humor e excitação bastante elevados: felicidade ou irritação excessiva;
    • O pequeno tenta mostrar superioridade em suas ações; assuntos de conversa com uma conotação de grandiosidade: só ele tem superpoderes, ninguém pode com ele, todos têm de fazer o que ele mandar, etc.
    • A criança não sente tanto sono;
    • A fala do pequeno é muito rápida; além disso, ele muda rapidamente de um assunto para outro sem encerrar o que havia começado;
    • É possível notar o envolvimento em vários projetos escolares e em outras atividades no geral, mostrando grande disposição;
    • Grande diminuição do interesse ou prazer em todas ou em quase todas as atividades;
    • Perda ou ganho de peso de maneira significativa;
    • Fadiga ou perda de energia;
    • Agressões a terceiros ou a si mesmo. Em casos extremos, a criança pode tentar o suicídio;
    • Recusa a ir à escola;
    • Dificuldade para organizar a informação;
  • O pequeno apresenta altos e baixos de aproveitamento acadêmico, que decai de forma inesperada e demora a ser recuperado devido às oscilações do humor presentes em seu cotidiano.
  • Baixo controle dos impulsos;
    • A criança pode manifestar prejuízo na memória episódica;
    • Dificuldades em adquirir autonomia social;

Tratamento com intervenção terapêutica

O Transtorno Bipolar na infância é tratado com intervenções que tendem à diminuição de grande parte desses sinais. Os tratamentos podem ser feitos em consultórios de especialistas, cuja área de atuação é bastante variada. Sendo assim, é comum ver psicólogos, psicopedagogos, analistas comportamentais, psiquiatras e outros profissionais devidamente habilitados.

Tratamento com uso de medicamentos

A utilização de medicamento precisa ser feita com cautela. Vale dizer que somente os profissionais podem indicar e receitar os remédios que são capazes  de auxiliar a criança  com as intervenções. Portanto, o contato com especialistas é algo que não pode ficar para trás.

A psicoterapia no Transtorno Bipolar

Segundo estudo realizado por Perry (apud Souza, 1999), a psicoterapia é excelente para as seguintes habilidades:

  • Adesão – é fundamental aumentar a adesão do paciente ao tratamento;
  • Funcionamento social e ocupacional – melhorar o desempenho dos pacientes em atividades sociais e laborativas;
  • Melhorar a detecção de sinais precoces de recorrências;
  • Educar o paciente acerca de sua doença e suas medicações (explicar os vários sintomas, esclarecer sobre prognóstico, instalar esperança, envolver familiares);
  • Promover um estilo de vida saudável, por exemplo, regularizar o ciclo sono–vigília;
  • Criar de forma colaborativa estratégias de lidar com estresses, que, se não administrados apropriadamente, podem provocar um episódio depressivo.

Não deixem de procurar auxílio com profissionais médicos e não médicos que tenham a habilidade e propriedade para indicar os tratamentos mais eficientes para cada caso. Lembre-se que somente a ajuda de especialistas pode é a solução ideal para o seu filho.

 

Dr Clay Brites

Compartilhe este artigo

Comments 2

  1. Bom dia :

    Minha dúvida é a seguinte ;

    Minha filha de 9 anos foi diagnosticada com Transtorno de Humor ( não fechou diagnóstico de qual tipo ) ou disruptivo do Humor ou bipolar .
    Na escola dependendo da semana , ela se sai bem nas atividades e provas . Mas quando não está bem , o declínio é nítido .
    Pergunta : eu tenho o direito de solicitar que minha filha faça as provas novamente ou que não faça na semana que não está bem ou melhor que sua prova seja mais curta (geralmente é longa) para que consiga concluir ?
    A professora do ano passado permitia que ela fizesse em dois dias -mas passou o ano não tendo o privilégio de terminar em um dia como os amigos -sentindo-se impotênte .
    Grata , aguardo retorno e parabéns pelo lindo trabalho .

    1. Suporte Neurosaber

      Olá Shirley , para que possa ter uma resposta assertiva e de forma responsável procure um profissional jurídico para avaliar e orientar com relação aos direitos que sua filha , agradecemos o contato e confiança .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *