Como incentivar a criança a ser mais independente?

A independência dos pequenos é algo que está ligado à forma a qual os pais educam e ensinam as crianças a como se comportar em momentos distintos do dia a dia. Mas, muito além de tal aspecto, o fato de seus filhos não dependerem de ajuda para tudo também está relacionado a um trabalho considerável de sua psicomotricidade.

Para se ter uma ideia, situações corriqueiras são ótimas para estimular os aspectos emocionais, cognitivos e motores dos baixinhos. É preciso considerar que essas funções, desempenhadas dentro de casa ou na sala de aula, tendem a desenvolver esse conjunto de habilidades.

Autonomia: elemento indispensável para as crianças

A independência mostrada pelos baixinhos se deve à autonomia que eles demonstram, tendo em vista a habilidade adquirida nas experiências diárias. Vale dizer que a fase mais importante para o desenvolvimento dessa autonomia pode ocorrer até os 3 anos de idade. No entanto, o resultado de um processo de sucesso da criança estende-se até a vida adulta.

A psicomotricidade trabalhada dessa forma, através da independência de seu filho ou aluno, passa a ser aprimorada diante da prática diária. Confira abaixo algumas situações que podem e devem ser incentivadas para despertar o lado mais independente dos pequenos.

O ambiente doméstico como o primeiro desafio

Estimular a psicomotricidade por meio da independência pode ser mais simples que vocês imaginam. Sempre que a criança quer um objeto, que não ofereça riscos, vocês deixam que ela mesma pegue ou alguém trata logo de correr e colocá-lo em suas mãos? Esse questionamento é feito, pois muitos pais acabam assumindo algumas funções que deveriam ser desempenhadas pelas crianças.

Sendo assim, é importante que se estabeleça desde já esse senso de pegar objetos, tocá-los e descobri-los. Além de promover a evolução da psicomotricidade, a criança também terá a curiosidade aprimorada.

Portanto, não prive a criança de se locomover para pegar um brinquedo ou algum objeto (que não ofereça riscos). Isso representa um grande aprendizado e, futuramente, ela pode até realizar algumas funções domésticas, como arrumar a própria cama, lavar o copo e recolher os carrinhos ou as bonecas para guardar.

Aprendendo a ser independente na escola

O espaço escolar também é propício para que os pequenos desenvolvam sua independência e psicomotricidade. Imaginemos uma sala de aula. O contato com os demais pares são ideais para se estimular a curiosidade da criança. Junto de seus coleguinhas, ela vê o que o outro faz e quer repetir.

As professoras devem então aproveitar esse momento para estabelecer situações em que os pequenos vão se sentir motivado a se moverem e descobrir novas funções e experiências.

O próprio ambiente da escola proporciona essa independência a partir do momento que as crianças são estimuladas a lancharem sozinhas (sem ajuda de ninguém), a guardarem suas merendeiras e outras funções. Vale dizer que essas iniciativas que os educadores procuram desenvolver visa o aspecto de independência dos pequenos.

Algumas dicas importantes

Tomando banho sozinho

Lá pelos 4 anos de idade, a criança pode utilizar o xampu e fechar os olhos para não deixar o produto cair no olho. Ela já adquire esse discernimento.

– Indo ao banheiro sozinho

O desfralde começa por volta dos 2 anos. Com isso, o bebê inicia os primeiros passos em direção à sua autonomia. Aos 6 anos, o pequeno deve ir ao banheiro sozinha. Aos 7, ele é capaz de fazer a própria higiene.

– Comendo sozinho

Por volta dos 2 anos, a criança consegue manipular a colher à boca. As habilidades sociais aumentam de forma considerável.

-Usar a faca

Sob uma rígida supervisão, o uso da faca pode começar por volta dos 8 anos para facilitar a independência do pequeno.

Já pensou aprender profundamente as Técnicas Psicomotoras que podem otimizar o Desenvolvimento Infantil de uma maneira Lúdica, Encantadora e Eficaz? Em um curso online completo a Lu Brites te ensina tudo sobre Psicomotricidade com fundamentação científica e de forma prática e simplificada.

Compartilhe este artigo

Comments 16

  1. Boa tarde.
    Muito rico esse material. Está me ajudando bastante para a minha pós em psicopedagogia institucional e clínica. Estou pagando uma disciplina que está relacionada a psicomotricidade.

  2. Amei todos os artigos, são de fundamental importância para minha prática pedagógica. Enriquecedora. Muito obrigada por compartilhar. 🙂

  3. Psicomotricidade é um tema excelente, são de fundamental importância para minha prática pedagógica. Enriquecedora! 🙂 Gostaria muito de fazer esse curso.

  4. Muito bom esse artigo. Tenho uma filha de 4 anos e muitas vezes não me atento para essas dicas que com certeza proporcionam o desenvolvimento motor da criança.

  5. Dicas maravilhosas, que só reforçam a necessidade e a utilidade da independência da criança.

    1. Adriana Matias
    1. Adriana Matias
    1. Adriana Matias
  6. Muito bom esse artigo. eu trabalho com crianças de 3anos e sei que autonomia é motricidade estão ligadas e fazem parte do aprendizado da criança tanto na escola como no convívio da família, basta incentivar a criança que ele desenvolve as tarefas dentro dos seu tempo.

    1. Adriana Matias
  7. Gostei , e suas dicas são maravilhosas , eu estava precisando no momento, obrigada!

  8. Achei interessante porque a autonomia e motricidade é tudo para nossas crianças ela passa a ser independente. Estar sendo muito bom participar.

  9. Quero agradecer muito por essa grande ajuda de nos enriquecermos com esses conhecimentos maravilhosos. Esses materiais é um grande presente pra gente poder trabalhar. Eu me sinto com a faça e o queijo na mão pra realizar um excelente trabalho. Lu vc é um anjo que Deus escolheu para nós ajudar.

    1. Adriana Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *