Como o professor pode ajudar o aluno com Deficiência Intelectual?

A sala de aula representa um espaço de desafios não só para os alunos que, diante de novas possibilidades, precisam encontrar soluções que auxiliem as descobertas do dia a dia, mas para professores também. Os educadores devem sempre se atualizar quanto à didática, principalmente aquelas que pretendem abarcar as peculiaridades de cada estudante.

Nesse caso, o enfoque será dado às crianças que chegam à escola com o diagnóstico de deficiência intelectual. O que fazer? Quais são os métodos? Existem outros profissionais que também estão aptos a contribuir para o desenvolvimento pedagógico e social do aluno junto aos professores? Enfim, as respostas para esses questionamentos serão respondidos neste artigo.

O que fazer para facilitar o entendimento dos alunos?

Um detalhe que não pode ser deixado de lado é o fato de as crianças necessitarem de uma atenção mais focada por parte dos educadores. A forma de falar e expor as situações; a maneira de apresentá-los a uma tarefa ou brincadeira; a disponibilidade de estar sempre pronto para conduzi-los a uma situação; tudo isso é refletido no resultado final.

Em outras palavras, a orientação dada aos pequenos tende a refletir, e muito, no desempenho dos estudantes com deficiência intelectual. Para isso, os professores utilizam de técnicas que ajudam a despertar tanto a concentração da criança quanto o interesse.

Quais são os métodos?

As dicas que mostraremos a seguir procuram desenvolver habilidades nas crianças diagnosticadas com deficiência intelectual. São atividades simples, mas que representam um passo importante quando ensinadas aos alunos; e quando eles conseguem absorver o que fora passado. Portanto, vejam quais são as técnicas que disponibilizamos aqui.

– Objetos como tintas, fita crepe, carrinhos, carimbos e massinha são excelentes para o estímulo da coordenação viso-motora. Além disso, tais itens aprimoram as habilidades de preensão;

– O uso de instrumentos ou brinquedos do interesse da criança é importante para estimular a categorização, o agrupamento, a classificação, a ordenação, as noções de conjunto e quantidade;

– Os professores também podem optar por objetos reais e que fazem parte do dia a dia do pequeno. Isso é ideal para o aumento de percepções e compreensão de medidas, além de desenvolver suas variações de maneira eficaz, valorizando os registros por meio de desenho para posteriormente atribuir significado numérico;

– Os encartes de revistas são indicados para que os pequenos possam brincar com quebra-cabeças. Isso também possibilita percepções de posições no espaço;

– Brinquedos que tendem a incentivar a leitura, a associação de palavras e dos objetos são ótimas opções de desenvolvimento da criança com deficiência intelectual;

– A utilização do Geoplano para o aprimoramento de aspectos de percepção costuma ser eficazes. Além disso, ele ajuda na elaboração, no espaço, nas formas, medidas e reprodução de imagens;

– Personagens que compõem o universo infantil contam como verdadeiros auxílios no desenvolvimento dos pequenos, pois eles despertam interesse na criança. Esse contato faz com que ela desenhe, crie e construa tanto o seu silabário quantos os jogos temáticos. Isso é responsável por induzir a alfabetização.

Que outros profissionais podem ajudar no desenvolvimento dos pequenos?

Como vocês puderam ver, o trabalho do professor no caso de um aluno com deficiência intelectual é cheio de desafios e técnicas (citamos apenas algumas) que visam ao desenvolvimento dos pequenos em tal situação. No entanto, existem outros especialistas que agregam importância nos progressos mostrados pelos alunos.

A presença de psicopedagogos e psicomotricistas pode contar como um ponto que faz toda a diferença. Afinal, esses profissionais adotam técnicas que tendem a complementar os métodos utilizados pelos professores dentro de sala. O conjunto dessas práticas aumenta o progresso dos pequenos.

 

Luciana Brites Psicomotricista

 

Compartilhe este artigo

Comments 7

  1. Gostei muito de suas sugestões, moro em Belo Horizonte no estado de Minas Gerais gostaria de fazer um curso com vocês. Como seria possível?

    1. Suporte Neurosaber
  2. Boa tarde, mestres!
    Sou assessora pedagógica de educação especial, estou nesta função recentemente, vou às escolas verificar a situação real dos alunos com deficiência e das dificuldades dos professores. Tenho formação em Educação Especial. Preciso da ajuda de vocês numa questão: Conheço alunos com deficiência intelectual; durante a leitura que eu fiz sobre este artigo, não notei a parte comportamental do aluno com D.I., existe um artigo que eu possa saber mais informações de como eu posso ajudar os professores desta questão?

    1. Suporte Neurosaber
  3. Boa tarde
    Sou mae e meu filho tem di, porém sinto q a dificuldade vai aumentando conforme a idade vai passando , pois eles passam a acompanhar cada vez menos a matéria como faz para q a criança nao seja excluída, tiro da escola ou ele segue na escola con atendimento especial professora auxiliar…. ( porem acho q prof especial acaba tratando ele como diferente sendo q a ideia dele estar em sala de aula é para seguir como todos…) enfim se tiver alguma orientação adoraria ele tem 10 anos esta se alfabetizando no momento.

    1. Suporte Neurosaber

      Olá Vanessa , A Lei 9.394/96 reforça, nos artigos 58 e 59,
      a importância do atendimento educacional a pessoas com necessidades especiais, ministrado preferencialmente em escolas regulares. Estabelece, também, que sejam criados serviços de apoio especializado e assegurados currículos, métodos e técnicas, recursos educativos e organizações específicas para atender às peculiaridades dos alunos. Destaca, ainda, a necessidade de capacitar docentes para as Dificuldades de Aprendizagem. Por lei todas as escolas tem garantir o pleno desenvolvimento do aluno sendo assim uma escola inclusiva .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *