Como trabalhar a psicomotricidade na escola?

A psicomotricidade é uma ciência que preconiza o desenvolvimento de habilidades emocionais, cognitivas e motoras nas diversas etapas da vida.

A educação infantil tem um papel primordial no desenvolvimento do processo de aprendizagem, pois a criança será formada, estruturada e estimulada para que as habilidades cognitivas e de aprendizagem sejam solidificadas.

A psicomotricidade tenta buscar as atividades certas e adequadas para cada etapa de desenvolvimento da criança. É muito importante trabalhar a psicomotricidade na escola, pois as habilidades de aprendizagem têm o tempo certo para serem desenvolvidas. Saiba como, neste artigo.

A psicomotricidade na escola

A psicomotricidade trabalha, estimula e otimiza o tempo de processo de aprendizagem das crianças. Muitas dificuldades de aprendizagem podem causar atraso no desenvolvimento psicomotor.

Os jogos lúdicos são práticas que promovem a aprendizagem e desenvolvem os aspectos: motor, psicológico, social e afetivo da criança. A brincadeira deve ser promovida na escola, por meio das atividades psicomotoras, de forma agradável e motivadora. 

A psicomotricidade é muito importante na escola, pois trabalha na prevenção de problemas de dificuldades de aprendizagem relacionados à: afetividade, leitura e escrita, matemática, atenção, lateralidade, dominância lateral, funções cognitivas, socialização e trabalho em grupo. 

O movimento é um elemento importante na construção da identidade e do desenvolvimento motor da criança. Na escola, a educação pelo movimento, utiliza a ação do corpo para desenvolver a aprendizagem.

Como trabalhar a psicomotricidade na escola

A escola e o professor têm um papel muito importante e influenciam diretamente o desenvolvimento da criança, principalmente nos anos iniciais. Em sala de aula, podem usar jogos recreativos que estimulam os seguintes aspectos: motor, social, afetivo e cognitivo. 

Nas aulas de educação física, o professor precisa evitar a repetição de movimentos de forma mecânica e priorizar atividades que desenvolvam corpo e mente. O jogo é um canal direto para a criança expressar os seus desejos e emoções — uma ferramenta muito valiosa na educação infantil.

O trabalho de educação psicomotora com jogos e atividades que envolvam o corpo, contribui com o desenvolvimento motor, emocional e psicológico da criança. Por meio dessas atividades, ela desenvolve suas habilidades perceptivas e ajusta o seu comportamento psicomotor.

A importância do brincar no desenvolvimento infantil

O brincar permite à criança desenvolver habilidades essenciais para o seu desenvolvimento. O principal objetivo da educação psicomotora com atividades lúdicas é o conhecimento sobre o próprio corpo, a descoberta do sistema corporal e a formação de uma unidade corporal organizada.

As crianças aprendem de forma muito mais satisfatória e eficaz por brincadeiras e jogos. O contexto lúdico é essencial para a socialização do ser humano, para a construção de diferentes pontos de vista, para elaboração de hipóteses e contexto de espaço e tempo. 

O brincar deve ser entendido como uma atividade que possibilita diversas habilidades de aprendizagem, inseridas em um ambiente motivador, agradável e planejado. Na atividade lúdica, o que importa não é o resultado, mas a ação, o movimento. 

As atividades lúdicas permitem que as crianças experimentem momentos de encontro consigo e com outro, momentos de fantasia e de realidade, ressignificação e percepção, autoconhecimento e conhecimento do outro.

Nesse sentido, a ação preventiva dos professores é de suma importância, pois possibilita a diminuição do número de crianças com dificuldades de aprendizagem, minimizando os efeitos negativos que os transtornos psicomotores têm e promovendo o desenvolvimento global da criança. 

Técnicas de psicomotricidade na escola

Nos seus primeiros anos, a criança está organizando conceitos e se desenvolvendo através de novas experiências. Assim, a proposta lúdica, característica da educação psicomotora, visa o desenvolvimento motor, emocional e psicológico, através de jogos e atividades divertidas, onde a criança descobre o potencial do seu próprio corpo.

Através do brincar, é possível detectar desvios na capacidade motora e psicológica da criança e promover a aprendizagem em vários aspectos. A brincadeira possibilita descoberta e exploração, canal direto para a expressão de emoções.

O trabalho da educação psicomotora é indispensável para o desenvolvimento motor, afetivo e psicológico da criança. Na escola, os professores, devem propiciar oportunidades para que, através de jogos e atividades lúdicas, o aluno possa se conscientizar de seu corpo. 

Atividades para crianças pequenas (até 3 anos):

  • Gincanas, exercícios com bolas, atividades táteis, pintura de corpo, encher e esvaziar recipientes, entre outras.

Atividades para crianças maiores (a partir dos 4 anos):

  • Pular, dançar, rolar, atividades rotineiras como amarrar o sapato, pentear os cabelos, se vestir, pegar objetos, entre outras.

Desenhar, pintar, atividade de colagem são atividades que trabalham a psicomotricidade e podem ser realizadas em qualquer idade.

Viu como é simples trabalhar a psicomotricidade na escola? Se restou alguma dúvida, deixe nos comentários!

Referências:

XISTO, Patricia Baldecera, eLuciana Borba Benetti — A PSICOMOTRICIDADE: UMA FERRAMENTA DE AJUDA AOS PROFESSORES NA APRENDIZAGEM ESCOLAR. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/remoa/article/view/6190

Compartilhe este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *