Como trabalhar Pedagogia no TDAH?

O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é uma síndrome que pode ser caracterizada pela desatenção, impulsividade e/ou hiperatividade. De origem multifatorial, ele exige atenção dos pais e de profissionais de áreas interdisciplinares. Por isso é importante não negligenciar o diagnóstico do TDAH na vida seu filho ou filha.

O assunto de hoje, no entanto, não pretende se aprofundar nos detalhes conceituais da síndrome, mas, sim, levar aos educadores algumas dicas que podem ser determinantes na vida do pequeno no ambiente escolar.

Não tenha receio

É muito comum que a primeira reação de um profissional da educação, diante da possibilidade de ter um aluno com TDAH em sala de aula, seja de receio; principalmente no que se refere à metodologia que deverá ser empregada durante as atividades. O que acontece, porém, é que vários professores têm essa sensação porque ainda não devem ter convivido com um aluno com TDAH. Embora os desafios surjam no cotidiano, pode-se dizer que existem muitas maneiras de estabelecer uma relação satisfatória entre a educadora, o estudante e o restante da turma. Veja a seguir como trabalhar a pedagogia no TDAH.

Técnicas infalíveis

Um ponto de relevância e que antecede as dicas é o estabelecimento da confiança que deve haver entre vocês. Isso pode ser conquistado no cotidiano escolar com os seguintes métodos:

– Demonstre atenção e gosto em poder ajudar a criança: no caso de um aluno desatento e que mostre dificuldade na compreensão dos conteúdos, é fundamental que o educador desperte na criança a segurança que ele tanto precisa;

– Crie rotinas: a criação de um esquema de tarefas é um meio de desenvolver na criança a habilidade de se organizar em itens importantes, como a organização da mochila, a produção dos deveres de casa, o asseio da mesa e da cadeira usada durante as aulas;

– Aulas dinâmicas: para facilitar o entendimento da criança em relação aos conteúdos dados em sala de aula, nada melhor que atrair a atenção do pequeno. Teatros, dinâmicas, músicas, desenhos e gravuras contam bastante ponto na hora de agradar crianças, sobretudo aquelas que precisam de uma concentração a mais;

– Esteja pronto para tirar dúvida do estudante: o ato de responder todas as dúvidas do aluno reforça sua explicação e, consequentemente, a fixação do conteúdo na mente do pequeno;

– Tente puxar as aulas para a vida do aluno: isso significa que sua metodologia deve se aproximar mais e mais do pequeno, para que ele possa assimilar os conteúdos com mais facilidade;

– Forme uma parceria com a criança: é importante que o pequeno sinta que está sendo visto e valorizado em sala. Além dos deveres que são pertinentes ao estudante, tente atraí-lo para perto de si, principalmente solicitando sua ajuda para vigiar a sala, ser seu ajudante em funções leves e que podem ser feitas por uma criança;

– Tente sempre manter contato com o pequeno: durante a explicação em sala, tente ganhar a atenção da criança com a exposição de exemplos de temas que podem o interessar.

É importante que haja uma parceria entre educadores, pais, profissionais da área da saúde e a criança. Apenas com tal compreensão e determinação, a criança com TDAH encontrará formas de viver melhor em todos os ambientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *