Desenvolvimento da fala no processo de alfabetização

Toda criança que lida com o aprendizado encontra dificuldades, que podem se dividir entre pontuais e gerais. Na verdade, todo ser humano precisa encarar os desafios que surgem com o que se apresenta como novo.

No caso das crianças que manifestam algum distúrbio de aprendizagem, a situação requer um acompanhamento mais aprofundado, pois o que está em jogo não é só a cognição do aluno, mas toda uma série de fatores que podem encontrar ecos por toda a sua vida. Por isso é importante falarmos sobre o desenvolvimento da fala no processo de alfabetização, um dos pilares da vida estudantil de qualquer pessoa.

Informe-se e acabe com os pré-conceitos

Obter informação e fugir dos conceitos pré-estabelecidos sobre a dificuldade de uma criança com a alfabetização é o melhor caminho. Infelizmente, ainda há muita falta de compreensão sobre crianças que não conseguem obter um bom resultado na fruição das palavras, por exemplo. Isso acaba por estigmatizar o aluno que passa por tal situação.

É imprescindível que haja uma compreensão acerca do desenvolvimento da fala durante o processo. Para começar, isto jamais deve ser visto como preguiça, mas como uma limitação que pode ser trabalhada a fim que haja uma melhora completamente bem-sucedida.

Quais são essas dificuldades?

Durante a infância, sobretudo quando a criança começa a conhecer as palavras e a balbuciá-las de forma inteligível, o pequeno pode encontrar dificuldades na pronúncia e/ou reconhecimento delas. Conheça algumas:

  • Mutismo seletivo: marcada por uma ansiedade social, em que a criança consegue falar, mas em determinadas situações fica bloqueada e incapacitada de se expressar.
  • Dislalias: dificuldade na articulação e elucidação das palavras. Em muitos casos, a criança troca alguns fonemas; omite ou acrescenta palavras, causando uma distorção na construção da frase.
  • Disfemias: distúrbio que provoca perturbações intermitentes na fala (emissão). Importante lembrar que algo relativamente normal se inclui nesse grupo: a gagueira.
  • Atraso da fala: perturbação que interfere no desenvolvimento de linguagem de forma multifatorial. O tratamento é extremamente necessário, uma vez que tal dificuldade pode acompanhar a criança por toda a vida.

Além desses distúrbios, há outros que incidem sobre a linguagem e o aprendizado das crianças. São eles: afasia, disfasia e problemas graves de comunicação.

Tratamentos adequados

É importante salientar que como há algumas particularidades acerca dos distúrbios que afetam a criança, o tratamento não pode ser o mesmo para todas elas. No entanto, a presença de alguns profissionais da fonoaudiologia, psicologia e psicopedagogia são imprescindíveis para levar aos pequenos pacientes atividades que possam capacitá-los a melhorar a fluência da fala.  Com todo esse acompanhamento, as crianças tendem a apresentar uma melhora significativa.

É válido ressaltar também que a compreensão dos educadores em sala de aula é um dos segredos para os resultados satisfatórios da criança. Lembre-se também que a comunicação entre pais (ou responsáveis), professores e outro profissionais é muito válida e constitui num esforço conjunto a fim de dar aos pequenos todas as condições de socializar e ter uma vida absolutamente normal.

Compartilhe este artigo

Comments 27

  1. Fico muito agradecida ao ler este conteúdo me facilitará em experiências na sala de aula.

  2. Gostaria de saber se o fato de uma criança começar a emitir as primeiras palavras tardiamente se encaixaria em um tipo de distúrbio? e se isso acarretaria problemas de aprendizagem futuros?

  3. Gostei muito de todo o conteúdo exposto, muito esclarecedor. Vocês sempre nos surpreendem.
    Abraços.

  4. Adorei saber um pouco mais sobre as dificuldades da fala, pois tenho dois alunos que apresentam dois tipos diferentes. A menina está com fono e psicóloga, agora é que está lendo fluente. O menino não frequenta nem fono e nem psicólogo, porém, só conta com minha ajuda. Está melhor, mas sua melhora é lenta porque não dá para dar-lhe uma atenção especial. Esses casos é que gostaríamos de soluções, porque são alunos que dependem exclusivamente da escola.

  5. Gostaria de receber mais materiais sobre como auxiliar a criança com dificuldades na fala.

  6. Boa noite!

    Meu pequeno é Autista e apresentou também o Mutismo Seletivo, as especialistas que acompanham ele solicitaram ao Neuro um auxilio com algum tipo de medicação, no caso dele o Dr. José Albino da Paz (um neuro que amo, acho muito atencioso e competente) indicou o uso da Fluoxetina 20 mg, após o primeiro mês de uso meu pequeno disparou a falar e hoje com mais ou menos 4 messes de uso do remédio até em inglês ele já canta kkkk, estou muito satisfeita com o tratamento e vejo uma ótima evolução.
    Amo os videos de vocês e tem me auxiliado muito no esclarecimento de várias dúvidas!!

    Um grande abraço.

  7. Estes artigos que estão aqui a nossa disposição, ajudará muito em minha monografia, no qual pretendo fazer sobre a neuro educação, no âmbito escolar.

  8. Muito bom!! Cada vez mais aprendendo, hoje a falta de conhecimento esta prejudicando cada vez mais nossas crianças, essas informações são excelentes para mudar essa situações, que Deus abeçoe vocês.

  9. Muito bom texto. Minha filha tem DEL e vejo que não é muito falado sobre isso e até mesmo falta conhecimento desse distúrbio. Se puder faz alguma publicação falando desse distúrbio, Obg.

  10. Pingback: Características de jovens e crianças com TDAH - NeuroSaber

  11. boa tarde,obrigado,foi um presente de DEUS esse estudo,que estou com muita dificuldade com meu filho de 12 anos ler o trabalho na frente do professor e seus colegas,esta sendo um pouco agressivo com o professor e fui chamada NA ESCOLA HOJE..(ELE PREFERE FALAR QUE NÃO VAI FAZER DO QUE TENTAR)…ME AJUDE ….

  12. Achei muito interessante sobre o tema: “Desenvolvimento da fala no processo de alfabetização”, gostei bastante a cada texto descubro coisas que não sabia. Assim construo novos conhecimentos a cerca dos temas aqui apresentado!

  13. Conteúdo super interessante muito bem explicado,que tem me auxiliado e muito no dia a dia. Um super abraço e muito obrigada por essa oportunidade que tem me dado sempre pensei em fazer um curso mas nunca tive oportunidade.

  14. Texto bastante pertinente ao cotidiano escolar e sobretudo na educação infantil, pois há de se ter um olhar mais atento para essa questão da fala, da linguagem e da cognição infantil.

  15. Excelente texto. Gostaria de sugerir uma publicação com ampliação do tema que apresente sugestões e/ou exemplos de práticas educacionais bem sucedidas, na educação infantil e primeira etapa do ensino fundamental.
    O o trabalho com o canto, recitação de parlendas e brinquedos que se utilizam das falas ritmadas são grandes auxiliares na aprendizagem da língua oral e, pode ajudar muito nos casos mencionados no texto.

    Mirian Raquel

  16. Pingback: TDAH: Dificuldades de Aprendizagem na Escola - NeuroSaber

  17. Esse artigo foi riquíssimo para pais e educadores. Saber identificar e saber os profissionais que tratam desses problemas na criança foi extremamente importante para quem lida com crianças

  18. Pingback: Dificuldade de Leitura: como trabalhar o aluno - NeuroSaber

    1. NeuroSaber Responde
    1. NeuroSaber Responde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *