Educação Física e suas contribuições para o desenvolvimento motor

As aulas de Educação Física não são somente uma oportunidade para recreação, muito pelo contrário. Existem diversos benefícios que contribuem para o desenvolvimento motor de estudantes do ensino fundamental e médio. As atividades proporcionam a oportunidade dos pequenos e jovens exercerem habilidades que fazem toda a diferença para o aperfeiçoamento de tais práticas.

A importância do desenvolvimento motor

Estudos revelam que o desenvolvimento motor “representa um aspecto do processo desenvolvimentista total” e está ligado, de maneira inter-relacionada, aos campos cognitivos e afetivos acerca do comportamento humano, sendo influenciado por vários fatores.

As pesquisas afirmam que a importância em torno do desenvolvimento motor ideal não deve ser minimizada ou considerada como secundária, sobretudo em relação a outras áreas do desenvolvimento.

De acordo com observações, toda sequência básica do desenvolvimento motor está embasada no desenvolvimento do cérebro, uma vez que a mudança progressiva na capacidade motora de uma pessoa, desencadeada pela interação desse sujeito com o ambiente em que está inserido e com a tarefa em que ele esteja engajado.

A função da Educação Física

Deve-se ressaltar que a Educação Física passa a adquirir um papel de grande relevância à medida que ela tem a função de estruturar o meio ambiente adequado para a criança e o adolescente. Essa experiência oferece conhecimentos que resultam numa contribuição exemplar ao desenvolvimento humano, principalmente o desenvolvimento motor, garantindo a aprendizagem de habilidades específicas.

Que elementos da motricidade podem ser trabalhados?

A Educação Física proporciona o aprimoramento do desenvolvimento motor, principalmente na motricidade do aluno. Habilidades como motricidade global, motricidade fina, esquema corporal, equilíbrio, organização temporal, organização espacial são devidamente trabalhadas. Vejam mais um pouco sobre cada uma delas.

– Motricidade global

A motricidade global é aquela que envolve movimentos cujos grandes grupos musculares atuam em ação simultânea, sobretudo no que diz respeito à execução de movimentos voluntários complexos.

– Motricidade fina

A motricidade fina pode ser considerada como uma atividade de movimento espacialmente pequena, mas com grande precisão ou velocidade, executada principalmente pelas mãos e dedos; e também pelos pés.

– Esquema corporal

Já o esquema corporal é indispensável para a formação da personalidade da criança e do adolescente. Ele é a representação global, científica e diferenciada que a criança tem de seu próprio corpo.

– Equilíbrio

O equilíbrio é o elemento cuja base primordial pertence a toda ação diferenciada dos membros superiores. Funciona assim: “quanto mais defeituoso é o movimento mais energia consome, tal gasto energético poderia ser canalizado para outros trabalhos neuromusculares. Nesta luta constante, ainda que inconsciente, contra o desequilíbrio resulta numa fatiga corporal, mental e espiritual, aumentando o nível de stress, ansiedade e angustia do indivíduo”.

– Organização temporal

A organização temporal é o elemento que inclui uma dimensão lógica (conhecimento da ordem e duração, os acontecimentos se sucedem com intervalos), uma dimensão convencional (sistema cultural de referências, horas, dias, semanas, meses, e anos) e um aspecto de vivência, cujo aparecimento vem antes dos outros dois (percepção e memória da sucessão e da duração dos acontecimentos na ausência de elementos lógicos ou convencionais).

– Organização espacial

Importante ressaltar que todas as modalidades sensoriais participam de forma relativa na percepção espacial: a audição, a visão, o tato e o olfato. A orientação espacial direciona nossa habilidade para avaliar com precisão a relação física entre nosso corpo e o meio ambiente, além de tratar as modificações no curso de nossos deslocamentos.

 

Compartilhe este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *