Entenda a Importância da Consciência Fonológica na Educação Infantil

Nosso contato inicial com a escola pode reservar inúmeras descobertas, pois é durante essa fase que as crianças começam a lidar com o ensinamento, a aprendizagem e a chegada de habilidades elementares para seu desenvolvimento ao longo dos anos.

A aproximação dos pequenos com outros indivíduos de sua faixa etária (coleguinhas de sala) é um estímulo e tanto para que a quebra da barreira que separa o ambiente doméstico com o mundo exterior seja efetiva. Na esteira dessas novidades, uma delas que trataremos aqui é a consciência fonológica na educação infantil e a sua importância.

O que é consciência fonológica?

A consciência fonológica é a habilidade que todos nós temos para lidar com a estrutura sonora da fala e trabalhar seus componentes estruturais. Além disso, vale ressaltar que ela permite também a possibilidade de pensar a linguagem como um objeto.

Outro detalhe que vale a pena reiterar é o aspecto estratégico desempenhado pela consciência fonológica na educação infantil. Os pedagogos utilizam técnicas que tendem a facilitar o entendimento das crianças e que também possibilitam ainda mais o aprendizado dos alunos.

Como vocês podem ver, essa habilidade pode ser determinante para muitas outras etapas que pertencem ao desenvolvimento dos alunos na referida fase escolar. A alfabetização é um processo imprescindível para todo e qualquer indivíduo, pois ela permitirá a leitura, a escrita e a comunicação de forma geral, como consequência.

Alfabetização e consciência fonológica

A consciência fonológica na educação infantil se mostra importante, inclusive, pela contribuição que ela oferece à alfabetização. Vale ressaltar que essa habilidade ocorre de maneira simultânea a outras. Isso acaba por auxiliar em processo de aprendizagem do aluno.

Importante relembrar algo que já foi tratado em artigos anteriores: durante a alfabetização, quando conhecemos os sons das letras, sílabas e palavras, o aprendizado ocorre de maneira mais fluida e rápida.

Consciência fonológica na educação infantil e o TEA

Um estudante que convive com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) pode e deve se integralizar a uma turma regular, exceto quando o autismo se manifesta de forma severa, impossibilitando o aprendizado e até a própria integridade do pequeno.

No caso de um aluno com o autismo mais leve, os professores podem utilizar ou adaptar (considerando que cada um apresenta uma característica única) metodologias que tendem a ajudar a criança na aquisição dessa habilidade.

É sempre bom ressaltar que a consciência fonológica no TEA acontece por meio de uma preparação muito bem desenvolvida por profissionais capacitados e que possibilitam o aprendizado dos pequenos durante essa fase determinante na vida dos pequenos.

Quando falamos em consciência fonológica na educação infantil, devemos reforçar que os professores trabalham direcionados totalmente voltados às necessidades trazidas pelos alunos à sala de aula. Isso significa que se a criança apresentar um autismo mais brando, os educadores vão conduzir suas técnicas aos elementos que podem impulsionar o seu desenvolvimento.

Outro detalhe importante salientar é que existe um elemento fundamental para a consciência fonológica: o aprendizado das sílabas. Elas representam uma etapa inicial de todo esse processo de consciência fonológica.

Lembre-se sempre que a consciência fonológica voltada a alunos com TEA necessita de todo um conjunto de estratégias que têm o objetivo de colaborar com o desenvolvimento de tal habilidade nessas crianças. Portanto, os educadores, ou pedagogos; e os psicopedagogos são indispensáveis em tal missão.

A consciência fonológica na educação infantil: contribuições para toda a vida

Por fim, devemos reforçar aqui que a consciência fonológica só tem o que contribuir para o desenvolvimento dos alunos, pois essa prática conduz as crianças à aprendizagem das palavras e até mesmo a reforçar seu aspecto cognitivo frente aos desafios pedagógicos que surgirão em suas vidas ao longo das etapas.

 

Compartilhe este artigo

Comments 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *