Letra cursiva para crianças no primeiro e segundo ano é indicado?

O assunto de hoje é resultado de muitos pedidos feitos por educadores e familiares de alunos que estão no processo da alfabetização. Afinal, o treinamento e o ensino da letra cursiva para crianças no primeiro e segundo ano são indicados? Não são poucas as dúvidas que surgem nesse questionamento. Isso é explicado pelo fato de que a criança, nesse período, pode encontrar alguma dificuldade com os traçados, por exemplo. No entanto, os professores estão lá para justamente orientá-los.

Sendo assim, vejam o porquê de ser tão importante saber sobre alguns detalhes que estão envolvidos nessa prática. Aliás, a participação da família durante esse processo conta bastante para o desenvolvimento do pequeno a ser observado. Sim, o ambiente doméstico é determinante para o aprendizado do estudante. Tais detalhes, como outros, vocês verão logo abaixo.

Então é preciso ensinar a letra cursiva?

Sim. A letra cursiva é importante e significativa dentro do desenvolvimento da criança. Isso porque a escrita é a expressão do pensamento. Como tal, o aprendizado dessa letra torna esse pensamento mais fluido, pois ela possibilita sua continuidade através da escrita.

No entanto, isso não quer dizer que a letra bastão não seja importante, porque, no processo de leitura, ela conta consideravelmente no início de alfabetização. Ou seja, é uma etapa que não deve ser pulada, mas vivenciada pela criança. É extremamente necessário que o pequeno aprenda.

Agora, quando o aluno é devidamente estimulado por volta dos seus 5 e 6 anos, trabalhando todos os aspectos corporais e percepção visual; automaticamente, ele vai desenvolver os pré-requisitos para trabalhar a letra cursiva.

Quais são os pontos importantes para esse desenvolvimento?

O professor pode começar o processo de escrita cursiva, principalmente quando o estudante estiver com os seus 6 anos de idade. Um detalhe interessante é o fato de que a criança também tenha a estimulação bem significativa, explorando o corpo, a mão, exercendo força nesse membro.

No entanto, é importante que o educador observe e acompanhe a questão do traçado da letra: se está sendo feito de forma adequada, se aquilo está passando por uma otimização através do desenvolvimento. Enfim, a criança deve ter o respaldo dentro de sala de aula acerca do seu desempenho durante essa prática.

A dinâmica da escrita precisa da mediação, tanto do professor quanto da família. Essa conexão entre as partes diz respeito ao sucesso do aprendizado da criança, pois quando há um trabalho de cooperação entre escola e família, o pequeno consegue obter as condições necessárias para atingir seus objetivos nesse momento importante de sua alfabetização.

Por que a letra é tão importante?

Bom, é preciso partir da ideia de que a letra também está ligada à nossa personalidade. Obviamente que ninguém deve se preocupar em ter uma letra linda, maravilhosa e esteticamente irretocável. Não é isso, até mesmo porque cada um de nós tem uma letra diferente, um traçado característico.

Mas é importante chamar a atenção para o fato de que todos nós precisamos nos fazer entendidos, também por meio das letras. Caso contrário, a escrita pode perder o seu caráter de servir como forma de expressão, uma vez que todos nós necessitamos dessa maneira para se manifestar.

E se a criança chegar aos seis anos e não conseguir escrever a letra cursiva?

Nesse caso, é necessário que haja uma investigação mais apurada acerca dos estímulos (ou até mesmo da falta deles) durante os anos anteriores. A questão da coordenação motora é determinante nessa aprendizagem, por isso que além da presença de pedagogos e psicopedagogos, a participação de psicomotricistas também deve ser considerada.

Referências

LETRA cursiva para crianças do primeiro e do segundo ano é indicado? [Arapongas]: Neurosaber. 1 vídeo (3 min.). Publicado por Neurosaber. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-3nZXIvivjk&t=1s. Acesso em: 18 jan. 2020.

 

Compartilhe este artigo

Comments 8

  1. Boa noite. No caso de uma criança de 8 anos com Síndrome de Down e deficiência cognitiva leve, agora no segundo ano já se pode exigir um pouco mais da cursiva? Ela lê na bastão palavras simples como bola, carro, boné, pipa, é ao escrever está silábica.

    1. Suporte Neurosaber
      1. Suporte Neurosaber
    1. Suporte Neurosaber
  2. Olá, tenho um aluno que está no 2o ano e não sabe ler e ainda confunde bastante as letras do alfabeto. Ele escreve cursivamente,mas na verdade é uma cópia que ele faz,pois não entende nada que está escrito. Sou tutora particular e confesso estar um pouco perdida em qual passo tenho que voltar. Alguma dica?

    1. Suporte Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *