Mordidas na escola como proceder?

A escola é um local com possibilidades diversas. O espaço pedagógico, por reunir crianças com diferentes personalidades, é o lugar propício para lidar com determinadas situações ainda na primeira infância. Isso não se restringe somente aos pequenos, mas aos adultos também. Dentre esses desafios existe um que tira o sono de pais e deixa educadores menos experientes apreensivos: as mordidas.

Qual de vocês nunca ouviu falar de uma criança que levou ou deu uma mordida na outra? Muitas vezes, nossos filhos passam por isso quando são bem pequenos. Segundo especialistas, tal atitude é comum entre 1 e 3 anos de idade.

Por que isso acontece?

Durante os primeiros anos de vida, todos nós já estabelecemos alguma comunicação, embora ainda não tenhamos o domínio da fala. De acordo com psicólogos, as mordidas podem ser consideradas uma forma de demonstrar emoções, principalmente em situações como a disputa por algum objeto ou brinquedo. Os pequenos mordem quando estão irritados, descontentes e até com raiva. Como a linguagem verbal ainda não é uma habilidade presente em sua vida, eles se manifestam dessa maneira.

Até que ponto as mordidas são consideradas normais?

O aspecto comum das mordidas vai até os dois anos de idade. Se após essa fase a criança continuar se comportando dessa maneira e com uma determinada frequência, os pais devem procurar acompanhamento com psicólogos. É preciso ficar atento, pois a continuação de tais atitudes pode significar uma agressividade aflorada, reflexos de alguma situação que pode estar acontecendo na família ou até mesmo no desenvolvimento do pequeno.

Como a escola deve proceder?

Considerando que isso pode acontecer com mais frequência no ambiente escolar, devemos enfatizar em um detalhe: identificar os momentos em que ocorrem as mordidas. Ou seja, pela disputa de brinquedos ou ‘desentendimentos’ entre a criança e o coleguinha.; os motivos mais propensos.

O próximo passo é conversar com o pequeno e mostrar a ele que isso não é legal, que machuca e que faz o outro chorar. É evidente que somente isso não é o suficiente. Sendo assim, é importante avisar aos pais, tanto do que efetuou as mordidas quanto o que recebeu, sobre o ocorrido.

Muitas escolas utilizam bilhetes, mas nesse caso seria interessante convidar os pais para uma conversa aberta e explicar que isso é normal, embora tenha que ser corrigido para que não aconteça mais.

É importante dizer que a intenção da criança não é machucar, mas manifestar descontentamento. Muitos educadores tentam conscientizar o aluno que mordeu mostrando as marcas feitas por ele no outro colega. Isso é parte de um processo de esclarecimento que os adultos devem incutir nas crianças. Toda vez que houver alguma indicação de que essa situação pode ocorrer, a melhor maneira é chamar a atenção para que o aluno veja que aquilo não é legal.

Como os pais devem proceder?

Os responsáveis pela criança que mordeu devem conversar com o filho e dizer que as mordidas não devem se repetir porque machucam, deixam as pessoas tristes, não é certo, entre outros motivos.

Os pais de quem sofre a ação devem procurar a escola para esclarecimentos, mas com a consciência de que isso acontece e que pode ser resolvido com tranquilidade. Nada mais indicado que o diálogo e a conscientização.

Compartilhe este artigo

Comments 6

  1. Adorei, sou professora do infantil e isso é bem comum nas crianças, essa postagem me ajudou bastante em conhecer o porquê de acontecer.

  2. Olá! Bastante importante abordar esse tema. No caso de uma criança com TEA que costumam morder não só outras crianças, mas tbm objetos da sala, como mesa, caseiras etc. Qual seria a maneira mais adequada para proceder?

    1. NeuroSaber Responde
  3. Meu filho foi mordido 4 vezes. NÃO É NORMAL. É INADMISSIVEL, está ficando com medo de frequentar o ambiente escolar.

    1. Adriana Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *