Neurodesenvolvimento Infantil e suas implicações na escola

Quem acompanha nossos artigos já viu por aqui que a infância é um período extremamente desafiador, uma vez que nessa fase a criança passa a obter uma série de descobertas acerca do contexto em que vive. O neurodesenvolvimento é algo que influencia de maneira considerável nesse quesito.

O neurodesenvolvimento pode ser definido como o conjunto de habilidades no qual o pequeno passa a interagir com o meio que o rodeia. No entanto, esse contato se dá de forma dinâmica e será determinado pela idade, a maturidade, os estímulos presentes no ambiente de convivência e os fatores biológicos.

Qual a importância do neurodesenvolvimento?

Para ficar mais claro o poder que esse grupo de competências representa, basta elencar aqui quais são os aspectos que fazem parte desse conjunto:

– As habilidades sensoriais (a visão e a audição);

– A manipulação;

– A comunicação e a linguagem;

– Os comportamentos;

– Os afetos;

– As emoções;

– A motricidade global;

– As competências cognitivas não verbais e verbais.

Quais são as implicações do neurodesenvolvimento infantil na escola?

Para se ter uma noção do quão importante é o neurodesenvolvimento no período escolar, um estudo constatou que as vias neurais de aferência sensorial são responsáveis por desempenhar um papel determinante no desenvolvimento do cérebro da criança, logo em seus primeiros anos de vida.

A estimulação sensorial é de grande relevância, pois aspectos como movimentos, cores, sons e afetividade são elementos básicos de tais estímulos na vida do pequeno, sobretudo na primeira infância.

É sempre válido salientar que a partir do momento em que a criança obtém o neurodesenvolvimento funcionando de maneira regular, sua experiência no ambiente escolar tende a ser bastante satisfatório.

Por outro lado, quando algo de errado ocorre nesse aspecto, o pequeno passa a precisar de um acompanhamento que vá possibilitar a sua trajetória frente aos desafios presentes na vida acadêmica.

O neurodesenvolvimento da criança está relacionado a uma série de fatores que influenciam fortemente a vida do pequeno: psicomotricidade e motricidade; visão, linguagem e audição; interação social e comportamento; e postura. Todos esses fatores representam a base elementar para o aluno e seus aspectos cognitivos em sala de aula.

Existe uma idade única para aprimorar o neurodesenvolvimento?

Na verdade, é preciso ressaltar que a idade de aquisição de determinadas competências psicomotoras, atitudes comportamentais e outros fatores intimamente ligados ao neurodesenvolvimento apresentam uma enorme variação. Há que se ressaltar que o limite do que é considerado normal ou certo nem sempre é tão simples de estabelecer, principalmente no que diz respeito ao comportamento.

Quais são os problemas mais frequentes no neurodesenvolvimento?

– Os déficits de cognição;

– As perturbações sensoriais, evidenciando a surdez ou a cegueira;

– As deficiências motoras, com destaque para a paralisia cerebral;

– As perturbações que afetam as habilidades da comunicação, tal como a perturbação específica da linguagem;

– As perturbações de comportamento (a perturbação de hiperatividade com déficit de atenção);

– As perturbações ligadas à aprendizagem escolar, como a discalculia e a dislexia;

– As perturbações ocasionadas pelo Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Quando consultar um especialista?

Na verdade, se a criança não apresentar algum sinal de atraso e demonstrar desempenho regular nas atividades pedagógicas e na interação social, os pais não devem se preocupar tanto em procurar ajuda. No entanto, qualquer indicativo que seja o contrário das situações citadas acima, a consulta com um profissional deve ser feita com base no relato dos educadores acerca do desempenho e da experiência do pequeno na escola.

 

Luciana Brites Psicomotricista

 

 

Compartilhe este artigo

Comments 2

    1. Suporte Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *