O que é a Síndrome de Savant?

Muitos de vocês, leitores, já devem ter sido informados sobre as várias habilidades que um indivíduo com autismo pode desenvolver. Certamente, quando existe o acompanhamento devido de um profissional, tais talentos podem ser compensados com o reconhecimento da família, dos amigos e das demais pessoas que compõem o ambiente do autista.

Entretanto, quando esse excesso de habilidades vem acompanhado de limitações, os pais devem ficar atentos. A Síndrome de Savant é caracterizada por esse desequilíbrio no intelecto de uma pessoa. Veja mais sobre isso abaixo:

O que é a Síndrome de Savant?

Embora rara, a condição é descrita na literatura médica há muito tempo. O primeiro registro que se tem ideia data de 1789, feito pelo pai da psiquiatria americana, Benjamin Rush, quando o estudioso descreveu o caso incomum de Thomas Fuller, que demonstrava uma grande habilidade de fazer cálculos, mesmo que não soubesse quase nada de matemática.

Ao longo do tempo, pesquisadores chegaram à conclusão que a Síndrome de Savant poderia ser mais complexa que se imaginava. Se de um lado, a pessoa apresenta talentos incríveis; do outro, ela mostra limitações que afetam, na maioria dos casos, seu poder de comunicação. A condição ocasiona em déficits intelectuais na vida dos indivíduos. As pessoas diagnosticadas com autismo podem manifestar esse quadro.

Importante saber

Interessante notar que nos casos do autismo, algumas características podem ser percebidas com mais facilidade. O pesquisador norte-americano Bernard Rimland, do Autism Research Institute (Instituto de Pesquisa do Autismo) – em San Diego, Califórnia – afirma que quando ocorre um dano no hemisfério esquerdo do cérebro, o hemisfério direito é compensado pela perda ocorrida.

Rimland analisa ainda que, no caso dos diagnosticados com a Síndrome de Savant, as pessoas autistas demonstram habilidades que estão concentradas no hemisfério direito do cérebro, são elas: arte, cálculos, matemática e música. Por outro lado, a parte esquerda do órgão é afetada com os déficits de linguagem e fala. Paradoxalmente, há casos em que o autista desenvolve grande facilidade para os idiomas. Veja abaixo.

Quais são as habilidades provenientes da Síndrome de Savant?

Linguagem: mesmo que a comunicação seja uma barreira para os autistas com a síndrome, eles podem compreender mais de um idioma. Há casos notificados de pessoas diagnosticadas com a Síndrome de Savant que aprendem até 15 idiomas;

Memorização: uma das características mais marcantes em pacientes diagnosticados com a Síndrome de Savant, a grande facilidade de memorizar é bastante comum entre eles, sobretudo itens como catálogos telefônicos, dicionários e outros;

Cálculo: os autistas conseguem fazer cálculos bastante complexos e sem o auxílio de qualquer material para servir de suporte;

Música: os pacientes com a Síndrome de Savant conseguem reproduzir uma peça musical inteira após ouvi-la apenas uma vez;

Artes: as pessoas com esta síndrome demonstram grande facilidade para os trabalhos artísticos, a saber: desenhos, pinturas e esculturas.

A Síndrome de Savant tem cura?

Não existe na literatura médica nenhum indício de cura, mas há tratamento. O primeiro passo é procurar um profissional especialista e que possa estudar o caso para que a partir de suas conclusões, a intervenção mais adequada seja estabelecida.

Veja mais sobre esta síndrome neste post:

Compartilhe este artigo

Comments 13

    1. NeuroSaber Responde
      1. Sera que meu filho tem esta sindrome ele e autista e muito intelugente so nao sei dizer se sabe contar com precisao pois ele so tem 5 anos mais consague mexerno computador muito bem e se ele ver fazer uma unica vez ele aprende e nao esquece mais.

        1. NeuroSaber Responde
  1. Meu filho tem 2 anos e 8 meses e se encaixa na síndrome de Savant e Hiperlexia. Acredita que é possível ter as duas síndromes ao mesmo tempo?

    1. NeuroSaber Responde
  2. A Sindrome de Savant só se caracteriza em autistas? Todos autistas possuem essa síndrome ? uma pessoa pode ter essa síndrome sem ser autista?

    1. NeuroSaber Responde

Deixe uma resposta para Katia Adriana Domingues Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *