O que é Deficiência Intelectual e Desenvolvimental (DID)?

A deficiência intelectual e desenvolvimental (DID) pode ser caracterizada como o funcionamento cognitivo que não esteja na média esperada. Evidentemente, é muito mais que isso quando analisamos a prática, pois outros aspectos relacionados ao desenvolvimento também podem ser afetados.

No entanto, os pais, as mães e os responsáveis pela criança devem procurar ajuda especializada e não se pautarem em alguns sintomas que possam indicar tal diagnóstico.

Há que se lembrar o fato de que a assertividade e a eficiência dos exames devem ser a prioridade na hora de procurar ajuda médica, pois quanto mais precoces forem as intervenções, maiores serão as chances de se trabalhar as dificuldades apresentadas pela criança ou jovem.

Quais são as características mais comuns?

Muitos leitores devem fazer essa pergunta em relação aos aspectos característicos que envolvem a deficiência intelectual e desenvolvimental. Os sinais mais frequentes são os seguintes: iniciar e estabelecer interações sociais; não entender sinais sociais com precisão; manifestar dificuldades para resolver problemas; demonstrar obstáculos para desempenhar atividades rotineiras; apresentar incapacidade para lidar com situações abstratas e regras.

Além disso, é importante ressaltar que em muitos casos o raciocínio dessas pessoas pode ser afetado, principalmente quando precisam se comunicar de maneira efetiva, tanto oralmente quanto na escrita.

A deficiência intelectual e desenvolvimental na escola. Como lidar?

A sala de aula é um desafio para os alunos que convivem com a deficiência intelectual e desenvolvimental. Porém, os educadores também precisam estar preparados e receber a capacitação necessária para recebê-los.

A primeira coisa que se deve ter em mente é o aspecto heterogêneo que cada estudante, em dada situação, pode apresentar. Em outras palavras, é necessário considerar a particularidade do indivíduo frente à sua condição.

Isso significa que os procedimentos que visem a auxiliar o estudante na escola não devem ser pensados de maneira coletiva, mas, sim, individual; enfocando as dificuldades apresentadas por determinado aluno.

Embora a tarefa não seja simples como parece, os educadores podem observar, por exemplo, o que fazer para impulsionar o desenvolvimento da criança ou do jovem. A melhor maneira de promover esse aspecto é identificar as competências apresentadas pelo estudante a fim de que essas habilidades sejam trabalhadas de forma que promova evoluções consideráveis.

Quais são as principais causas da deficiência intelectual e desenvolvimental?

A resposta para essa pergunta não é fechada, ou seja, é impossível estabelecer uma causa exata ou uma linha de investigação apenas. Há que se considerar que a deficiência intelectual e desenvolvimental deve ser analisada sob o aspecto multifatorial.

No entanto, como tratado em nossos artigos anteriores, o transtorno em questão tem como ponto de partida o fato de caracterizar uma alteração no desenvolvimento do cérebro do paciente. As causas podem ser originadas, então, por fatores genéticos, problemas ocorridos durante o parto ou na gestação.

Existem sinais indicativos da deficiência intelectual e desenvolvimental?

Sim. Reiterando, porém, que os sintomas a serem elencados aqui podem significar também a incidência de um distúrbio coexistente. Por isso o acompanhamento com especialistas é sempre recomendado. Vejam quais são os principais sinais:

  • Pouca interação com os colegas e com a professora;
  • Dificuldade em coordenação motora (grossa e fina);
  • Falta de interesse pelas atividades dadas em sala de aula;
  • Quando a criança perde ou esquece o que já havia aprendido (e demonstrado habilidade);
  • Dificuldade para identificar letras, desenvolver a fala de maneira satisfatória (a comunicação é uma das faculdades afetadas);
  • Dificuldade em se adaptar aos mais variados ambientes.

Deficiência intelectual e desenvolvimental tem cura?

Não. Nestes casos não falamos em cura, mas em progressos consideráveis a ponto de oferecer autonomia a muitos dos pacientes. Entretanto, aqueles que forem diagnosticados com o nível severo da doença provavelmente necessitarão de tratamento intensivo por toda vida.

 

Dr Clay Brites

 

 

Compartilhe este artigo

Comments 6

    1. Suporte Neurosaber
  1. Minha filha com 11 anos foi diagnosticada com encharqueis em criança, não consegui dormi, está tomando neosaldina gotas mas não está aliviando a dor, alguma sugestão?

    1. Suporte Neurosaber

      olá Elaine , tudo bem ? Sem avaliação não podemos dar uma orientação
      precisa sobre caso .
      É importante buscar um especialista para lhe dar melhores informações e orientação para uma
      intervenção.De qualquer forma , temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e também em nosso
      blog que podem te ajudar em muitas questões

  2. Quando surgiu a nomenclatura deficiência intelectual e desenvolvimental? Trabalho numa equipe multidisciplinar em Joinville, composta por profissionais de todas as áreas, inclusive neuropediatra. E o termo “desenvolvimental” e a sigla “DID”, foi novidade para todos. Houve mudança na nomenclatura da deficiência intelectual?

    1. Suporte Neurosaber

      olá Fernanda ,

      Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas a todas as suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!

      YouTube Neurosaber: https://www.youtube.com/neurosabervideos

      Facebook Neurosaber: https://www.facebook.com/neurosaber

      Instagram Neurosaber: https://www.instagram.com/neurosaberoficial

      Blog Neurosaber: https://neurosaber.com.br/artigos

      Facebook Entendendo Autismo: https://www.facebook.com/entendendoautismo

      Instagram Entendendo Autismo: https://www.instagram.com/entendendoautismo

      Blog Entendendo Autismo: http://entendendoautismo.com.br/artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *