O que é Reforçamento Diferencial?

Todos nós sabemos que o comportamento humano é algo plural, independente de critérios como sexualidade, cor, condição social, entre outros. Diante desse leque de variedades, é importante destacar que a infância. Criança é tudo igual? Não. Isso independe da condição neurológica.

No entanto, hoje podemos salientar aquelas que convivem com algum distúrbio. Para providenciar intervenções que visem soluções para tratamentos adequados, especialistas utilizam o reforçamento diferencial, tendo como parâmetro a análise do comportamento, algo extremamente importante. Antes, porém, vale relembrar os esquemas de reforçamento.

O que são esquemas de reforçamento?

Eles são condições com as quais as respostas são reforçadas, o que significa, em outras palavras, regras que especificam as relações entre o próprio comportamento e suas consequências. Esses esquemas são responsáveis por alterar a relação existente entre o aspecto comportamental e os resultados provenientes dessa correlação. Eles evidenciam o chamado reforçamento intermitente ou parcial.

Qual a ligação entre o reforçamento diferencial com a conduta de uma pessoa?

Segundo Faleiros e Hubner (2003), por meio do comportamento verbal o indivíduo tende a estabelecer uma nova relação com o ambiente em que está inserido. Isso quer dizer que há um detalhamento do que ocorre nele e analisa contingências, indo além do modo direto e mecânico de alterá-lo e ser por ele alterado.

Este aspecto de alteração simboliza que o indivíduo se configura como um operante mantido pelas práticas de comunidades verbais. Como consequência desse processo, podemos destacar o seguinte fato: o falante muda o comportamento do ouvinte.

– Explicando mais

Funciona assim: se uma pessoa descreve contingências, este comportamento de descrição tende a desempenhar controle sobre o comportamento do ouvinte. O fato curioso é que se o falante e o ouvinte são a mesma pessoa (falando para si mesma), pode-se encontrar algumas mudanças no aspecto comportamental de um indivíduo a partir de alterações no seu próprio comportamento verbal.

O reforçamento diferencial na redução de determinados comportamentos

Procedimentos de reforçamento diferencial, considerando os complexos esquemas de reforçamento, têm sido bastante úteis em tratamentos, tendo em vista que eles visam à redução de comportamentos inadequados, podendo incluir alguns exercícios importantes para o desenvolvimento da pessoa, tais como os treinos de repertório adequado.

Quais são os tipos de reforçamento diferencial?

Bom, ao todo existem quatro tipos de execução de reforçamento diferencial. Todos eles seguindo um determinado parâmetro para se trabalhar a questão comportamental. Vamos saber mais sobre eles.

– Reforço diferencial de outros comportamentos

Constitui a liberação ao reforço após um determinado intervalo de tempo, onde o comportamento inadequado não é emitido, reforçando-se a ocorrência de qualquer outra conduta comportamental que não seja aquela que se pretende reduzir a frequência ou se extinguir.

– Reforço diferencial de baixos índices de comportamentos

O reforço é liberado depois de um intervalo fixo durante o qual o comportamento indesejado é emitido em um número igual ou menor a um índice pré-determinado.

– Reforço diferencial de comportamentos incompatíveis

Este tipo de reforçamento consiste na liberação do reforço depois de uma ou mais ocorrência de um comportamento que seja topograficamente incompatível com o comportamento inadequado.

– Reforço diferencial de comportamentos alternativos

Por último, temos este procedimento, no qual consiste na liberação depois de uma ou mais ocorrências de um comportamento particular, que seja ensinado ou treinado; e que não necessariamente seja incompatível com a conduta comportamental indesejada.

A importância do o reforçamento diferencial na educação infantil

Esse procedimento é fundamental para lidar com crianças no âmbito educacional. Isso significa que não somente psicólogos, psicopedagogos e demais terapeutas têm a prerrogativa de providenciar intervenções voltadas para o reforçamento diferencial. Os professores também exercem um papel importante na redução de sintomas tratados nesse contexto. Os educadores, quando bem treinados, são essenciais para utilizar estratégias adequadas para otimizar habilidades dos estudantes.

 

Compartilhe este artigo

Comments 7

  1. Os temas são extremamente relevantes para o cotidiano escolar. Obrigada por compartilhar. Sugiro se possivel, compartilhar conhecimentos da Neurociencias.

  2. É esclarecedor a forma com a qual é trazido esses temas, tão importantes no desenvolvimento infantil nas escolas e para o manejo com nossos filhos também.Com certeza a geração futura terá uma nova oportunidade de conviver melhor nos ambientes em que passar! Obrigada.
    Estou iniciando a escrita de um artigo sobre o transtorno de TOD. Gostaria de receber mais informações,pois perdi as aulas online,disponibilizadas por vocês.

    1. Instituto Neurosaber
    1. Instituto Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *