Organização e estruturação espaço-temporal na escola

Vocês sabiam que o bom rendimento pedagógico de uma criança está diretamente ligado à organização da estrutura espaço-temporal na escola? Caso ainda não tenham o entendimento aprofundado acerca do assunto, vejam como esse conjunto de conhecimento pode ser determinante na vida dos pequenos.

É importante pontuar, contudo, que o aluno deve ter o domínio dos problemas de orientação já na faixa dos 7 ou 8 anos. Isso é importante, pois o esquema corporal deve estar sedimentado. Como consequência, a criança passa a ter a noção do espaço em que está inserida e que vive.

Vale lembrar que a organização espacial necessita de um esquema sistematizado de movimentos que estejam dentro de coordenadas vertical e horizontal. O detalhe que deve ser levado em conta é o fato de que esse sistema coordenado não ser atribuído somente ao corpo, mas também em relação ao espaço e até mesmo à posição dos objetos. Portanto, é preciso saber que essas habilidades devem passar por algumas etapas para sua devida estruturação. Confiram:

A organização espacial e a percepção da criança

É essencial que haja a combinação de situações e orientações para que o aluno obtenha êxito no domínio das habilidades que enfocam o espaço-temporal na escola:

– Guiar uma criança por meio de comandos e orientações;

Aplicação de exercícios de simetria;

– Orientação de objetos (utilizando o espaço tridimensional: o comprimento, a largura e a altura; além da direção voltada para cima, para baixo, para frente, para trás, para direita e para a esquerda);

– Percepção e discriminação visual (forma, comprimento, quantidade, tamanho, fazer diferenciação entre objetos);

– Aquisição de orientação gráfica.

Etapas da estruturação temporal

Ordem e sucessão

– Percepção e memória (antes, durante, depois, agora);
– Classificação lógica ou cronológica (o que vem primeiro?)

Ritmo

– Associação de ordem, sucessão, duração, alternância (…).
– Ritmos internos: ritmo respiratório, hormonal, batimentos por minuto, etc.
– Ritmos externos: das estações, dos dias, dos minutos, etc.

Quais problemas podem ocorrer em casos de não acompanhamento?

Devemos ressaltar que o deficit na estruturação da organização espaço-temporal na escola costuma se manifestar nas seguintes situações:

– Dificuldades de locomoção pelo aluno em sala de aula e entre carteiras;

– Dificuldade de distinção entre “b” e “d”; “p” e “q”; “21” e “12” (percepção espacial de direita e esquerda);

– Dificuldade de ordenação de sílabas, reconstrução de frases (orientação temporal e espacial, noção do antes e depois);

– Dificuldades para distinguir entre “b” e “p”; “n” e “u”; “ou” e “on” (percepção espacial de alto e baixo);

– Desorganização de material e bolsa escolar;

– Dificuldade de obedecer a pautas, espaços, parágrafos;

– Erro na organização de contas matemáticas;

– Inconstância no tamanho da escrita das letras.

Quais são os termos temporais?

– Antes, durante e após;
– Tempo curto e tempo longo;
– Ritmo regular ou irregular;
– Cadência rápida ou lenta;
– Dias, semanas, meses, anos, estações;
– Caráter irreversível (já passou);
– Tempo subjetivo – momentos vividos percebidos como momentos de prazer ou de aborrecimento;
– Tempo objetivo – matemático: horas de refeições, atividades específicas.

A quem recorrer?

Para contribuir no desenvolvimento do pequeno, os especialistas em psicomotricidade são profissionais bastante indicados. Além deles, o trabalho em conjunto pode contar com o acompanhamento de outras áreas, como a Terapia Ocupacional, para citar apenas um exemplo.

 

Compartilhe este artigo

Comments 2

    1. NeuroSaber Responde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *