Quais as contribuições da psicomotricidade no canhotismo?

O canhotismo é algo normal e que pode ser notado em um grupo considerável de pessoas ao redor do mundo. Esse aspecto está completamente ligado à lateralidade apresentada pelo indivíduo e não a uma preferência deliberada.

Pesquisas comprovam que tal habilidade é inata, mas isso será abordado ao longo deste artigo. Além disso, vocês verão também como a psicomotricidade pode exercer uma grande contribuição na vida da criança que ainda está na fase de descoberta de suas competências motoras.

Informações sobre o canhotismo

Estima-se, de acordo com estudos, que haja cerca de 10 a 12% de indivíduos que estejam incluídos neste grupo. Há que se ressaltar que o canhotismo não deve ser encarado como um fator de grande preocupação para os pais e as mães. Tudo isso porque a criança pode viver seu percurso pedagógico normalmente, sem qualquer impedimento que implique em algum tratamento especial.

No entanto, é necessário ficar por dentro de alguns detalhes que tendem a contribuir para que esse desempenho do aluno canhoto seja otimizado cada vez mais. Sendo assim, um desses pontos fundamentais é o aspecto grafomotor, como a escrita. É válido adiantar que o importante é ensiná-lo a escrever de forma que não cause desconforto e nem atrapalhe a fluidez de sua prática (escrita).

O que os estudos falam a respeito?

Importante ressaltar que os pesquisadores não conseguiram chegar a nenhuma conclusão definitiva a respeito da origem do canhotismo a partir da psicomotricidade. Porém, grande parte dos estudiosos trabalha com a hipótese de tal aspecto da lateralidade vir de uma determinação genética. Em outras palavras, essa atribuição seria, na maioria das vezes, uma característica ou herança dos pais.

Existem estudos que revelam a seguinte constatação: filhos de pais destros trazem consigo menos de 10% de chances de serem canhotos (cerca de 9%). Por outro lado, as crianças, cujo pai ou mãe vive com o canhotismo, têm um aumento na probabilidade de desenvolver essa característica, chegando a quase 20% (em torno de 19,5%). Caso o pai e a mãe sejam canhotos, essa predisposição pode subir para até 26%.

Contribuições: existe estímulo de psicomotricidade para o canhotismo?

Sim, e esse estímulo deve começar cedo, assim como ocorre com os destros. Entretanto, deve-se ficar atento a alguns detalhes essenciais aos pequenos que já demonstram a lateralidade voltada para o canhotismo. Os principais pontos observados nesse aspecto são os seguintes: a preensão, a posição do braço, do punho e do papel. Importante salientar que aqui falamos da fase escolar inicial da criança.

Além disso, vale reforçar que a psicomotricidade é uma ciência que abrange os aspectos emocionais, cognitivos e motores de todos os indivíduos. Sendo assim, é válido salientar que tais habilidades psicomotoras são imprescindíveis para esse estímulo. Outro detalhe é que todos os exercícios/atividades devem ser feitos de maneira tranquila e proporcionar ao pequeno o prazer lúdico por estar incluído em tal processo.

Canhotismo na escola

A situação melhorou bastante acerca da correção da lateralidade nos alunos canhotos. Hoje em dia simplesmente não se corrige mais aquelas crianças que convivem com o canhotismo. Antigamente os professores até batiam nas mãos dos pequenos para tentar ‘consertar’ o que na verdade nunca precisou. É isso mesmo, como vocês viram, não há nada de errado em ser canhoto.

Os educadores atuais, dotados de muito mais informação, apenas trabalham os estímulos (citados acima) para aperfeiçoar a habilidade dos alunos frente a algum possível desafio enfrentado pelas crianças. Sendo assim, o que se tem em mente hoje é que ninguém deve forçar o estudante a escrever com a mão direita. Ele se desenvolverá com êxito usando a mão esquerda. Lembre-se sempre, é questão de lateralidade e não de preferência.

 

 

 

 

Compartilhe este artigo

Comments 2

  1. Gostei muito deste artigo,pois tenho alguns alunos canhotos e de faixa etária entre 5 e 6 anos. Obrigada por compartilhar estas pesquisas.

    1. Suporte Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *