Quais são as etapas de aprendizagem na consciência fonológica?

A aprendizagem na consciência fonológica é um fator determinante no desenvolvimento pedagógico de toda e qualquer criança. Afinal, é através desse processo que ela tende a obter o domínio de habilidades que proporcionarão as condições de abrir novas janelas em sua cognição.

A consciência fonológica e a cognição da criança

O aspecto cognitivo é o principal ponto a ser trabalhado nesse conjunto de técnicas e  competências que tendem a auxiliar a formação psicopedagógica dos alunos durante o ensino fundamental. No ensino médio, eles já terão essa capacidade de dominar plenamente a consciência fonológica.

Além disso, importante salientar que na adolescência é aconselhável que essas habilidades já estejam sob o domínio dos jovens. Caso contrário, algo de errado deve ser avaliado por um especialista.

A importância das etapas anteriores para os pequenos

Quando falamos sobre aprendizagem na consciência fonológica, precisamos colocar alguns pontos em evidência, como as técnicas que precedem essa fase e até mesmo a didática adotada pelos educadores.

Tudo isso é imprescindível para o desenvolvimento da criança, a partir do momento em que para ela obter a consciência fonológica, uma série de etapas antecedentes deve ser responsável por possibilitar o aprendizado das técnicas repassadas pelos professores.

A consciência fonológica e suas etapas

Educadores e alunos estão envolvidos em etapas que compreendem todo o processo de aprendizagem na consciência fonológica. Os professores são responsáveis por conduzir os pequenos nas fases que se seguem.

É válido ressaltar que a consciência fonológica é um conjunto de habilidades que precisa ser ensinado de maneira separada e progressiva para possibilitar sua eficácia na vida dos estudantes.

– Quais são as etapas?

Rima: o que é levado em consideração nessa parte é a discriminação auditiva, responsável por ajudar a criança na percepção da semelhança sonora entre as palavras utilizadas;

Partes das palavras: os estudantes começam a conceber que um vocábulo é dividido em partes e que tais partes também podem ter sons específicos. As sílabas são trabalhadas com enfoque;

Posição dos sons: nessa etapa ocorre o seguinte trabalho: os educadores ajudam os pequenos a compreender o som das palavras e a posição que os sons ocupam na estrutura léxica (da palavra analisada);

Segmentação fonêmica: com um pouco mais de complexidade, os alunos devem perceber os fonemas das palavras e sua identificação através da audição e da sequência fonêmica abordada;

Manipulação fonêmica: a habilidade oral é observada nessa fase. Aqui, as crianças são capazes de usar novas sequências de palavras; assim como manipular e rearranjar aquelas que já fazem parte de seu vocabulário.

Consciência fonológica e a alfabetização dos alunos

Tratado recentemente em um artigo anterior (‘A importância da consciência fonológica na alfabetização’), salientamos como é importante relembrar a aprendizagem na consciência fonológica sendo algo determinante.

Levando-se em conta o processo de alfabetização como um todo, temos a prerrogativa de analisar os vocábulos em letras e formas; sons e regras de correspondências. Com isso, podemos afirmar que a estrutura fonológica da linguagem oral serve de base para o processamento fonológico.

Portanto, a consciência fonológica na alfabetização deve ocorrer por meio de estímulos. Esse exercício se dá através do desenvolvimento das habilidades trabalhadas, ou seja, da reflexão, identificação e da manipulação dos sons presentes em nossa língua. É recomendável que a criança perceba as palavras, as frases, as sílabas, os fonemas; ou seja, os componentes da fala tão importantes para o desenvolvimento dos pequenos.

Isso significa que os professores têm uma missão imprescindível para a aprendizagem dos estudantes a partir do conjunto de habilidades que são trabalhadas junto dos pequenos logo na educação infantil.  Além disso, vale relembrar que os exercícios dados em sala de aula servem como grandes tarefas que visam a tal estímulo e, assim, contribuir para a autonomia dos estudantes.

 

 

 

Compartilhe este artigo

Comments 4

  1. Achei muito interessante a leitura,sou fonoaudióloga,divulgarei no site do Instituto onde eu trabalho.

    1. Suporte Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *