Processo de Aprendizagem

Quais são as etapas do processo de aprendizagem?

Para você, o que é aprender? Decorar um conceito, guardar as coordenadas de algo que acabara de ser ensinado ou simplesmente praticar o que foi passado? Nada disso. O processo de aprendizagem é muito mais extenso e complexo do que os exemplos dados acima. Muitas pessoas não sabem ainda o que está por trás de toda essa gama de associações e assimilações presentes na vida do ser humano.

É impossível falar em processo de aprendizagem sem mencionar Jean Piaget (1896-1980). O biólogo, psicólogo e epistemológico suíço estudou com profundidade as etapas do desenvolvimento humano. Ao longo dos anos, ele foi responsável por estabelecer teorias que abordassem esse importante aspecto da vida de todos nós.

A constatação de Piaget

Para o pesquisador, os organismos vivos tendem a se adaptar a um novo meio a partir do momento em que passa a existir uma relação entre eles e o ambiente. Em outras palavras, é como se a criança adquirisse conhecimentos através de experiências adquiridas em um contexto ao qual ela está inserida.

Segundo Piaget, a interação entre o indivíduo e o ambiente é responsável pela formação do conhecimento humano. O equilíbrio de uma ação com outras ações pelo homem (ser humano) propicia a adaptação aos ambientes. A assimilação é o elemento-chave que determina a base de todo esse processo de aprendizagem.

Sendo assim, Jean Piaget trouxe aos seus experimentos e constatações que a criança vivencia diferentes fases de desenvolvimento para adquirir habilidades fundamentais para sua vida, como o pensamento e a linguagem.

Por trás do processo de aprendizagem estão algumas etapas que são imprescindíveis para o progresso da mente e, também, para o fortalecimento da capacidade do pequeno em lidar com os desafios e as descobertas do conhecimento e aprendizado. Confiram abaixo quais são eles, de acordo com a visão de Jean Piaget.

O estágio sensório-motor e o começo da percepção – 0 a 2 anos

Esta fase é marcada pela consciência de algumas sensações por parte da criança, eis o porquê ela tem como principal a percepção-ação. O pequeno começa a compreender o significado da capacidade sensitiva e como seus movimentos influenciam alterações no ambiente.

O campo sensorial é o que rege a vida da criança em tal período. Isso quer dizer que ela só considera algo existente, aquilo que esteja em seu campo de visão e/ou pode ser tocado por ela. Isso é extensivo a tudo que faz parte do seu mundo, pode ser um brinquedo ou até a mamãe. Por isso é normal os bebês chorarem quando não conseguem ver suas mães. É como se ela tivesse deixado de “existir”.

O estágio pré-operatório e a representação – 2 a 7 anos

Aqui, nota-se o pensamento representativo. A criança começa a criar representações da realidade em que vive. Importante ressaltar que neste período o pequeno tem o desenvolvimento da fala aprimorado. Outra característica notável é o desempenho do aspecto cognitivo.

O egocentrismo tão perceptível nos pequenos dessa faixa etária não é um traço de personalidade, mas apenas parte do desenvolvimento cognitivo normal para esta etapa.

O pensamento lógico começa a se desenvolver. No entanto, mesmo que aspectos dotados de noções, regras e valores sejam identificados neste estágio, a criança ainda não tem condições de fazer julgamentos de situações diversas, entre certo e errado

O estágio operatório-concreto e o pensamento lógico – 7 a 12 anos

Neste período, a criança tem a capacidade de manipular mentalmente as representações e as experiências. Nota-se também o desenvolvimento da moral, uma vez que ela já consegue distinguir o que é certo. As noções de regras passam a fazer mais sentido. Os conceitos abstratos ainda não são possíveis para a sua compreensão.

O estágio operatório-formal e a assimilação de hipóteses – 12 anos

Por fim, a última etapa do processo de aprendizagem é marcada pela capacidade do pré-adolescente em fazer representações abstratas e com conceitos que não utilizam formas físicas. Além disso, outra característica é a compreensão à experiência vivida por outras pessoas. A pessoa passa a entender e a enxergar o ponto de vista alheio. Tudo isso como desdobramento do estágio anterior.

 

 

Compartilhe este artigo

Comments 36

  1. Muito relevantes e significativo em nossa prática. Embasamento teórico é necessário para que possamos saber o que esperar é o que planejar no processo de condução da aprendizagem de nossas crianças.
    Seguidora assídua da Neurosaber só tenho que salientar quão importante são todos os artigos, vídeos, lives, cursos proporcionados por vocês!

    1. NeuroSaber Responde
  2. Ótimo! Uma excelente explanação das fases da vida do ser humano. Revisão de aprendizagem, estudos feitos nos cursos de pedagogia e psicologia da aprendizagem escolar. 👏👏👏👏👏

  3. A relevância dessa artigo para os profissionais da educação, é de muita importância para o seu conhecimento e crescimento como educador.

    1. NeuroSaber Responde
  4. Desde que acessei a página do Neurosaber pela primeira vez, não deixo de ler os artigos publicados.
    Meu interesse decorre do fato de ser mãe adotiva de uma adolescente de 13 anos de idade, que tem diagnóstico de TDAH e TOD.
    O processo de revelação da filiação se deu aos 6 anos de idade e foi tranquilo. Sucede que seu rendimento escolar teve queda a partir do 5º Ano, quando realizou prova final de matemática, obtendo aprovação, felizmente. No curso do 6º Ano, aos 10 anos, entrou na puberdade precocemente, momento em que o rendimento escolar tem se apresentado mais complexo. Hoje cursa o 8º Ano.
    Tem acompanhamento de neuropsicóloga e psiquiatra e, objetivando melhor ajudar, enquanto mãe, participei do workshop – Dificuldade de Aprendizagem e Psicomotricidade, o que me motivou a participar do Programa MoviMENTE.
    Não atuo nesta área, sou Procuradora de Justiça no Estado do Rio de Janeiro, mas pretendo participar do curso para melhor contribuir na caminhada de minha filha.

    1. NeuroSaber Responde
  5. Excelente artigo. Muito bom!
    Vocês da NeuroSaber contribuem demais com a minha formação.
    Grata.

  6. Obrigada por compartilhar esse material, seu conhecimento nos ajuda e muito.
    Podemos aplicar junto a nossoa pacientes, orientações aos pais.
    Muigo grata!

  7. Boa rarde!
    Sempre bom relembrar as fases de desenvolvimento de J.Piaget.
    Tudo que voces nos enviam é de grande valia!
    Grata por tudo que a NeuroSaber compartilha conosco!
    Marlucia!!

    1. NeuroSaber Responde
  8. Boa noite, Luciana!
    Sou grata pelos conhecimentos adquiridos através de você e do Dr. Clay Brites. É com alegria que divulgo os vídeos e o site aos meus amigos e parceiros. Tenho aprendido e compartilhado das experiências com meus alunos e os conhecimentos para atender às crianças com deficiência têm me surpreendido a cada dia, assim como a minha evolução como profissional.
    Muito obrigada,
    Cátia Soares – São Paulo/SP

    1. NeuroSaber Responde
    1. NeuroSaber Responde
  9. Parabéns Luciana! Seus ensinamentos e do Dr Clay sempre atualizado e de excelência! Obrigada!

  10. Muito bom poder contar com informações como essas para aprimorar cada vez mais é poder ajudar minha pequena.

  11. Legal .Neurosaber tem me proporcionado a cada dia que passa mais informações. Obrigada.

  12. Exelente material de estudo e fundamental para todo pedagogo que trabalha com crianças em CEIs

  13. As etapas do desenvolvimento devem ser respeitadas, pois nelas estão os marcos indissociáveis a uma saúde educacional, mental, física e social de uma pessoa. Agora nesse passo, rumo a uma sociedade melhor, lutando por uma inclusão de fato real, todos nós ganhamos. Um beijo a toda equipe neuro saber. sou muito grata a todos vcs!

  14. Obrigada pelo material. Este conhecimento sobre as fases do desenvolvimento nos possibilita entender que nem sempre as respostas aos estímulos serão positivos caso a criança não tenha conceitos formados sobre o que está sendo pedido a elas. Grande beijo Lu!!!!

  15. Material maravilhoso perfeito para os profissionais entendereço quais comportamentos e habilidase em cada fase do desenvolvimento.

  16. Muito interessante colocar as teorias de Piaget! No entanto eu complementaria com as de Wallon que nos auxilia a entender melhor os estágios no campo emocional da criança. Pena que muitos de uma certa maneira não lembram de citá-lo.

    1. Instituto Neurosaber
    1. Instituto Neurosaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *