Quais são os tipos clínicos de TDAH?

Por acaso vocês saberiam dizer quais são os tipos de TDAH reconhecidos pela comunidade científica? Sabia que muitas vezes o comportamento de uma criança pode evidenciar ou não a existência do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)? É preciso estar por dentro das tipologias para que pais e educadores consigam observar os sinais necessários para encaminhar os pequenos à ajuda profissional o mais rapidamente possível.

A identificação dos tipos de TDAH favorece, por exemplo, o encaminhamento de uma intervenção que seja eficaz para os casos apresentados. No entanto, é importante ressaltar que somente os profissionais capacitados estão aptos para direcionar os tratamentos mais adequados a cada uma das crianças.

Os tipos de TDAH e alguns equívocos

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é dividido em dois grandes tipos: desatento e combinado. Muitas pessoas ainda acham que o TDAH é um transtorno em que a hiperatividade, a inquietude e a impulsividade ocorrem em absolutamente todos os casos diagnosticados nos consultórios, mas isso é um mito.

Estima-se que de 30% a 40% das crianças com TDAH não sejam impulsivas e muito menos hiperativas. O que ocorre é que elas são desatentas em excesso e trazem com elas um déficit de atenção que as prejudicam na vida pedagógica em grande parte. O importante é ver como esses dois tipos de TDAH estão delimitados.

TDAH tipo desatento

Este grupo é caracterizado por aspectos conhecidos pela maioria das pessoas, tendo a desatenção um dos pontos mais lembrados. Mas não é somente isso: percepção de passagem de tempo, dispersão em tarefas que exigem grande concentração, distração, entre outros.

Além disso, vale salientar que as características são muito mais comuns que se pode imaginar. Veja quais elas:

  • A criança tem dificuldade para se concentrar em aulas, livros e palestras (geralmente, as pessoas acometidas pelo TDAH tipo desatento não terminam a leitura de um livro; ou só quando o assunto desperta total interesse);
  • A criança é tímida, não faz questionamentos; não termina o que começa;
  • O pequeno costuma não dar trabalho na escola;
  • A pessoa se distrai com qualquer estímulo externo (barulho, objetos, imagens).
  • Dificuldade de se organizar, tanto objetos de seu cotidiano como a própria noção de tempo.
  • Distração em conversas.
  • Outros.

TDAH tipo combinado

No TDAH combinado, a criança manifesta os sintomas tanto de déficit de atenção quanto a impulsividade e a hiperatividade. Esse tipo de TDAH se dá pela junção dos dois grupos característicos do transtorno, sendo que a pessoa pode manifestar características que correspondam ao lado mais distraído e ao mais impulsivo. Isso torna a identificação dos sinais mais facilitada pela escola e pelos próprios familiares. Os pais tendem a procurar equipes de especialistas (médicos e não médicos) mais cedo quando percebem que seus filhos apresentam determinados comportamentos, a saber:

  • São muito inquietos;
  • Agitados e não aprendem com seus próprios erros;
  • Essas crianças têm muita dificuldade de aguardar a vez, esperar;
  • Elas também criam problemas de relacionamento social na escola e em casa.;
  • Boa parte delas evolui para o quadro opositor desafiador.

Intervenções para os tipos de TDAH

Independente de qual seja a tipologia do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade apresentada pela criança, o tratamento escolhido para a criança deve ser o ideal para as demandas do pequeno. Para isso, o aconselhável é que uma equipe multidisciplinar esteja no acompanhamento de seu filho/aluno para proporcionar a ele uma forma de trabalhar esses aspectos comportamentais.

Link consultado: https://neurosaber.com.br/quais-sao-os-tipos-de-tdah-e-como-identifica-los/

 

Dr Clay Brites

Compartilhe este artigo

Comments 10

  1. Boa noite, para mim foi muito importante ler este artigo… também já compartilhei com os meus contatos… muitas pessoas, principalmente pais acham que é frescura da criança. Meu filho tem 13 anos e desde os 8 ou 9 anos começamos a ver as suas dificuldades na escola como TDHA… mas por falta de condições muitas coisas que podiam ser feitas deixamos de fazer. Levamos em uma neuropediatra que receitou medicamentos que dizia que ele iria se concentrar… sim ele ficava parado em sala, os resultados continuaram os mesmos… ela o diagnosticou com déficit de atenção, mas ouvi falar que tem níveis. Isso nunca foi passado para nós pelo profissional. Levamos na fono, psicopedagoga, psicóloga e chegou uma hora que conseguíamos mais manter tudo isso infelizmente… isso mos entristeceu muito, porque nós não podíamos fazer nada fora de casa para ajudá-lo… sempre fizemos as coisas em casa para o estimular… conforme aprendemos e nos era orientado pelos profissionais… sempre estudou em escola particular, para ter mais atenção e cuidados… isso também não acontece muito… mesmo com laudos e exames que sempre levei para a escola…
    Já completou 1 ano que está indo na psicóloga, a Fabiana Masa, que nos ajuda muito… mas ele cai a cada 15 dias para ele não enjoar e ficar falando que não quer ir. Ela sabe que precisa ir, é sabe também que depende muito dele … precisa se esforçar para ter os resultados na escola, mas está difícil dele entender definitivamente isso é começar a agir… agora no final do mês teremos uma consulta com o neuropediatra Dr. Osmar de Piracicaba/SP… estamos buscando uma resposta exata para o que está acontecendo com nosso filho. Porque penso que muitas vezes podemos estar tratando um déficit de atenção e ser algo mais simples… mas os sinais de TDHA de desatenção se encaixa perfeitamente no agir do nosso filho…. que Deus nos dê sabedoria para fazermos e tomarmos as atitudes corretas… que os profissionais também tenham sabedoria.
    Muito obrigada por essa oportunidade de dividir a nossa história… amamos nosso filho e sempre estaremos prontos para fazer tudo que precisar para vencer cada desafio.
    Deus abençoe vocês, por fazer esse trabalho de nos ensinar….Boa noite.

    1. Adriana Matias
    1. Adriana Matias
  2. Olá! Gostei muito desse conteúdo e me foi útil para melhorar meu desempenho enquanto educadora.
    Um abraço!

    1. Adriana Matias
  3. Excelente! Este artigo pois estou trabalhando na educação infantil e há casos de crianças com TDAH

    1. Adriana Matias
  4. Olá , eu sou Dânthila e tenho uma filha com oito anos , levei ela em psiquiatras e neuropediatra foi diagnosticada q tem TDAH , toma medicação ,porém as vezes acho que não to fazendo certo ,ja ta quase um ano fazendo tratamento mais não to vendo resultado muito eficaz , é muito complicado lhe dar com esse problemas , consome minhas energias , as pessoas não entendem acha que é os pais que não sabem educar , mais não é , ela é criada num ambiente saudavel psicologimante falando , com muito amor carinho , atenção mas infelizmente o comportamento vêm dela mesmo e não há remedio que possa mudar isso ,conversas ,conselho é o que mais temos com ela . Gostaroa muito de conhecer algum profissional que mim orientasse melhor sobre o TDAH
    ,

    1. Adriana Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *