Sintomas neurológicos funcionais ou dissociativos

A saúde mental de uma criança ou adulto é sempre motivo para preocupação, tendo em vista que a capacidade mental exerce influência na vida da pessoa e de quem está ao seu lado. Dentre as várias situações que podem surgir neste aspecto da saúde humana, existe uma que demonstra aquilo que especialistas chamam de sintomas neurológicos funcionais ou dissociativos.

Afinal, o que é isto?

Eles podem ser considerados como sintomas neurológicos que o indivíduo tem e que são gerados por emoções fortes ou por distúrbios psiquiátricos, não tendo causa orgânica. Os sintomas não são resultado de infecção, tumor e nenhuma doença em si, mas por instabilidade emocional.

Os pais podem reparar que muitas dessas características aparecem na infância. As crianças, quando ansiosas, podem ter dor na barriga, dor na cabeça; sensação de enforcamento, diarreia, náuseas. Tudo isso é causado por uma insegurança excessiva e uma angústia vinda de uma expectativa.

Vale ressaltar que esses sintomas são reais e devem ser levadas a sério. Além disso, tais sintomas também podem dar ao indivíduo sensação de formigamento, tremores, mão gelada; indisposição intestinal (como se fosse vir uma crise de diarreia); sensação de tontura; enfim, tudo isso é característica dos sintomas neurológicos funcionais ou dissociativos.

Consequências

Por conta dessas dores ou situações, a criança costuma deixa de ir à escola, não vai à casa das pessoas, não frequenta determinados ambientes, entre outros.

O que deve ser feito?

A primeira providência é investigar as causas do incômodo relatado pela criança e impedir que tais sintomas cheguem à dor física sentida pelo pequeno. É bem verdade que o caso deve ser avaliado de perto por um médico para que ele possa orientar e informar os pais acerca da situação. A partir disso, todas as providências serão tomadas com o auxílio de um profissional que possa solucionar esse caso.

Quais são os grupos mais propensos?

Na verdade, pode-se afirmar que existem grupos em que os sintomas neurológicos funcionais ou dissociativos são mais perceptíveis. As pessoas diagnosticadas com algum distúrbio incluído no TEA (Transtorno do Espectro do Autismo), TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) e até mesmo em situação de superdotação.
O que todas as doenças acima têm em comum é a influência que elas exercem no convívio da criança (ou adulto) com o ambiente que a cerca. Elas são consideradas doenças neurológicas e afetam a qualidade de vida dos pacientes, seja direta ou indiretamente.

Quando é possível obter um diagnóstico?

Como essas situações devem ser analisadas pelo comportamento que a criança demonstra ao longo da infância, é aconselhável que pais e mães estejam sempre atentos aos passos do pequeno. Contudo, o diagnóstico só deve ser dado a partir de uma análise profissional, ou seja, de um especialista em saúde neurológica.

Importante frisar que algum comportamento inadequado adotado pela criança não deve ser vista como uma simples pirraça, considerando os antecedentes. A melhor solução é o auxílio médico e iniciar um tratamento que possa dar ao pequeno melhores condições de vida e socialização.

Veja este vídeo com o Dr Clay Brites e saiba mais sobre os sintomas neurológicos:

Compartilhe este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *