Soluções de sono para crianças com necessidades sensoriais

Quem não gosta de uma boa noite de sono? Não existe ser humano que não goste de algumas horas de descanso no período noturno para repor as energias. As crianças, em especial, precisam desfrutar ao máximo desse momento, uma vez que o sono está diretamente ligado à qualidade de vida e ao desenvolvimento.

No entanto, nem todas conseguem seguir o mesmo ritmo, sobretudo os pequenos que apresentam necessidades sensoriais. Como são vários os distúrbios, vamos falar aos pais de crianças que estejam relacionadas ao TEA (Transtorno do Espectro do Autismo). Elas são prejudicadas no quesito sono por uma série de questões.

Estima-se que a quantidade de autistas que passam por dificuldades na hora de dormir varie entre 40% a 80%. Veja alguns dos motivos abaixo:

Causas hormonais

Há pesquisadores que trabalham com a hipótese hormonal para justificar a dificuldade de crianças autistas dormirem à noite.

Segundo esses estudiosos, o hormônio melatonina, responsável pela regulação do ciclo sono-vigília, pode ser o grande causador da insônia que afeta os pequenos.

Os níveis do hormônio costumam aumentar durante a noite, o que proporciona às pessoas a sensação de relaxamento; e caem durante o dia, o que desperta. Nos autistas ocorre o contrário, o que dá a eles mais agitação durante a noite e mais sono quando está claro.

Estímulos externos

Outro motivo que pode ser o vilão do sono de seu filho é o estímulo externo. Considerando a necessidade sensorial da criança, não é surpresa o fato de algum barulho, por menor que seja, interferir no sono do pequeno.

Dessa forma, qualquer ruído, como o ranger de uma porta, um automóvel que passa pela rua, o tilintar de um talher, um televisor ligado, o barulho de um jogo eletrônico pode tirar a criança do estado de relaxamento e, consequentemente, do sono.

As causas são as mais variadas possíveis, mas citamos apenas as mais trazidas pelos pais aos consultórios. Vamos falar agora do que pode ser feito para amenizar esse momento tão importante e torná-lo prazeroso.

Soluções que podem ajudar na hora de dormir

  • Diminua os estimulantes durante a noite: itens como açúcar e cafeína não são indicados para quem tem dificuldades para dormir. Procure dar alimentos que estimulem o relaxamento muscular e que proporcione mais sono ao pequeno.
  • Estabeleça uma rotina durante a noite que favoreça o pequeno. Você pode ler uma história, adotar um horário padrão para deitá-la na cama, fazer uma massagem nas costas e até mesmo colocar uma música suave. Por outro lado, nada de televisão ou jogos eletrônicos.
  • Procure se certificar de que a porta do quarto não fica rangendo ou se há algum outro objeto que impeça o sono da criança.
  • Se a criança apresentar hipersensibilidade a cores, deixe o quarto de seu filho com o ambiente mais ameno possível.
  • Antes do horário de dormir, procure dar um banho morno na criança.
  • Toda e qualquer medicação só pode ser ministrada sob o acompanhamento médico, sendo proibido o uso de remédio sem o conhecimento do profissional.

Compartilhe este artigo

Comments 23

  1. Nossa! Muito bom esses artigos, tem ajudado a entender melhor, diversas questões. Gostaria muito de receber as 4 aulas e o Ebook, mas não tenho cartão, se fosse no boleto seria ótimo…
    Abraços.
    Regina

    1. NeuroSaber Responde
  2. Adotei um jovem de 18 anos apos a perda da mãe hoje já está com 19 , mora aqui em casa há 7 meses mais neste período tenho percebido alguns sintomas relacionados aos que acompanho no Neuro Saber sobre o TEA , percebo que tem fobia social muito forte chegando a ter crises, tem restrição alimentar, assiste o mesmo filme ou desenho várias vezes, não decide nada sem minha ajuda , sem nenhuma noção sobre gastos, quando temos que viajar é crise na certa , hiperativo , percebo deft de atenção, tenho que usar palavras mais facéis pra ele entender, seu comportamento comigo e super imaturo, e apresenta este transtorno no sono do jeito que vocês mencionaram de dia reclama cansaço e a noite tem dificuldades pra dormir mais não aceita tomar medicamentos e nem se tratar ja que aparentemente parece um jovem normal oque posso fazer me ajude por favor

  3. Interessante descobrir algumas formas para orientar nossos familiares de pacientes autistas a respeito do sono.
    Me ajudará bastante no atendimento clínico.

    1. NeuroSaber Responde
  4. Tudo que nos engrandece em conhecimento é gratificante. ..a matéria é muito valiosa e só veio agregar volar aos meus conhecimentos.

    1. NeuroSaber Responde
      1. São excelentes as suas palestras. Sou mediadora de uma criança autista com 4 aninhos. Tem me ajudado muito na prática.

        1. NeuroSaber Responde
  5. Estamos com um aluno na escola que no período da manhã dorme e à tarde não tem parada. Demonstra estar desassossegado e perturba os colegas. Vou usar esse artigo para orientar a mãe, pois ele não tem sono tranquilo. Obrigada!

    1. NeuroSaber Responde
  6. Adotei um jovem de 18 anos apos a perda da mãe hoje já está com 19 , mora aqui em casa há 7 meses mais neste período tenho percebido alguns sintomas relacionados aos que acompanho no Neuro Saber sobre o TEA , percebo que tem fobia social muito forte chegando a ter crises, tem restrição alimentar, assiste o mesmo filme ou desenho várias vezes, não decide nada sem minha ajuda , sem nenhuma noção sobre gastos, quando temos que viajar é crise na certa , hiperativo , percebo deft de atenção, tenho que usar palavras mais facéis pra ele entender, seu comportamento comigo e super imaturo, e apresenta este transtorno no sono do jeito que vocês mencionaram de dia reclama cansaço e a noite tem dificuldades pra dormir mais não aceita tomar medicamentos e nem se tratar ja que aparentemente parece um jovem normal oque posso fazer me ajude por favor

    1. NeuroSaber Responde
  7. Realmente, esclarecedor e de forma simples, o artigo com dicas para o entendimento de nós pais com filhos com TEA. Parabénssssss !!!!!

    1. NeuroSaber Responde
  8. Ok. excelente comentário. Mas você falou em TEA, e quando se segue todas as orientações do neurologista, bem parecido com os seus, mas não dá resultado, e aqui estou falando do TDAH, as fantasias aumentam na cama, a ansiedade atrapalha, a criança expressa não gostar de dormir para não perder tempo. A criança em questão é acompanhada pelo neurologista e a psicóloga, já teve alta da fono e da psicopedagoga. Já montamos um quadro de horários.
    O neurologista não quer entrar com mais medicação. Vocês teêm mais alguma orientação?

    1. NeuroSaber Responde
    1. NeuroSaber Responde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *