TDAH: Estratégias pedagógicas para alunos

É provável que a maioria de vocês saiba falar ao menos uma das características presentes na vida de uma criança com o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Dividido entre dois tipos, o TDAH pode ser combinado (hiperatividade, impulsividade e o déficit de atenção) ou desatento (falta de atenção).

Diante de tais possibilidades, é preciso que os educadores adotem determinadas estratégias pedagógicas para aproximar o conteúdo a ser ensinado aos alunos. O caminho a ser seguido não depende somente dos professores e do estudante. Os pais também têm um papel de muita importância nesse longo processo.

O que fazer para ajudar as crianças com TDAH?

A princípio, é interessante adotar algumas táticas para facilitar a concentração do aluno. Todos nós sabemos que a sala de aula é um local plural, ou seja, cada um traz uma peculiaridade. Isso pode chamar a atenção do pequeno.

Então, vejam as sugestões iniciais que temos para driblar essas distrações e que podem ser encontradas no ambiente escolar:

– Não deixe o aluno próximo a janelas e portas: qualquer atividade ou ruído vindo da parte externa tende a distraí-lo
– Coloque-o sentado perto à sua mesa, na primeira carteira;
– Mude-o de lugar sempre que perceber que algo ‘ameaça’ sua atenção ao conteúdo.

Quais ferramentas podem incrementar a explicação de uma tarefa?

Hoje em dia, os suportes multimídia servem como uma alternativa eficaz para auxiliar os educadores. Os equipamentos audiovisuais são essenciais: filmes, animações, clipes animados e trechos de peças publicitárias (que respeite a faixa etária do pequeno) tendem a dar um tom mais lúdico à aula.

Além disso, existem outros materiais que podem complementar a estratégia pedagógica, como jornais, revistas, gibis, jogos de tabuleiros, desenhos, entre outros. Tudo isso pode ser utilizado junto com os recursos multimídia citados acima.

O que fazer na aplicação de provas?

Para deixar os exames pedagógicos mais acessíveis à criança com TDAH, o aconselhável é contribuir ao máximo com o enunciado presente na folha de papel, seja utilizando bastante desenhos gráficos ou usando palavras que facilitem o entendimento.

Evitando as perdas

Uma criança com TDAH pode perder materiais e exercícios por distração (esquecimento). Para evitar essas situações, incentive-a a adotar medidas que diminuem esses aborrecimentos, colocando nomes nos objetos e utilizando somente o que for utilizado. Para as tarefas, o uso de uma pasta plástica é o ideal.

Anotando as tarefas

É preciso ficar atento quanto às anotações que o aluno faz em sala de aula. Para isso, estimule-o a utilizar bloquinhos de papel, post-it, agendas, calendários, etc.

Contando com a ajuda dos pais

As atividades pedagógicas das crianças precisam ser acompanhadas pelos pais dos pequenos. Por meio de observações escritas pelos professores, os responsáveis por eles devem criar um meio de se informar sobre o rendimento do estudante. A agenda é uma importante forma de comunicação.

Mostre ao aluno que ele é sempre capaz

Os pequenos atos são suficientes para incutir na criança o quanto ela é útil e capaz de se superar. Todo progresso conquistado merece ser reconhecido por meio de elogios imediatos. Isso tende a dar mais força para o estudante.

Compartilhe este artigo

Comments 22

  1. A criança com tdh tem dificuldades na escrita e leitura fico apavorada pois meu filho está no quinto ano e tem todas essas dificuldades

    1. NeuroSaber Responde
    2. Meu neto também, apresenta muita dificuldade na escrita, fez bastante tempo, fono e terapia, á 8 meses vem fazendo acompanhamento com psicopedagoga 2 vezes na semana, está no 5º ano.

  2. Meu filho tem 7 anos e foi diagnosticado com TDAH e TOD. Tenho vivido dias super difíceis. Ele não quer mais ir pra escola, tá no segundo ano. Não conseguiu alfabetizar ano passado. O que fazer pra recuperar o interesse pela escola? Estou vendo outra escola é um caminho? Obrigada! Adoro essa página!

    1. NeuroSaber Responde
  3. Minha filha tem muita dificuldade de se concentrar qualquer coisa faz com que se distraia. TDAH se diagnosticada pode ser curada?
    Ainda estamos em busca de neuro. Ela tem 5 anos e começou a primeira série estamos preocupados com seu desenvolvimento.

    1. NeuroSaber Responde
  4. Eu fico muito frustrada pois sempre acompanhei meu filho nas tarefas, sempre fiz tudo que a escola solicitou, mas não vejo que as escolas façam o mesmo. Não vejo nenhum intento de implementar estratégias que o ajudem. Infelizmente posso afirmar que se até hoje ele consegue ter um aprendizado até muito bom, é porque eu corro atrás, ensino em casa e busco estratégias por conta própria, pois a posição de todos os professores, orientadores etc. é apenas me cobrar e reclamar. Mesmo com laudos e orientações do médico, as escolas por onde ele passou não alteraram em nada sua forma de atendê-lo. Algumas pessoas que acompanham minha luta já até me alertaram que pode se tratar de racismo, pelo fato de sermos negros. Mas penso que seja despreparo mesmo. Infelizmente no Brasil é muito difícil conseguir tirar a criança da escola e ensiná-la em casa, pois é o que eu gostaria de fazer, pois acaba que ele vai para a escola apenas para cumprir a legislação, mas o aprendizado ele consegue em casa.

    1. NeuroSaber Responde
    1. NeuroSaber Responde
  5. Parabéns, venho acompanhando o trabalho da NeuroSaber e tem sido de grande ajuda para nós profissionais da educação.

  6. Acho muito interessante as postagens e perguntas de mães de crianças com TDAH.
    Sou Neuropsicopedagoga, tenho um Colégio na cidade em que moro, sou super a favor da inclusão, trabalho com várias inclusões dentro da minha instituição, e é inaceitável uma criança ir para a escola apenas para cumprir a legislação. Na minha opinião, a maioria dos professores e gestores estão despreparados para trabalhar com qualquer tipo de inclusão, pois a legislação “obriga” as instituições de ensino incluírem esses alunos dentro da sala de aula com professores despreparados. Quando recebo um aluno de inclusão, faço tudo um trabalho com o professor para que o mesmo saiba como deve ministrar suas aulas para que esse aluno não seja apenas uma mensalidade a mais.

    1. NeuroSaber Responde
  7. Como fazer com uma criança que tem TDAHe uma RDPM. . Fora uma síndrome chamada dissinostose crânio facial.
    Pois meu filho hoje com 10 anos tem tudo isso.
    A hiperatividade.. E o impulso é que falam mais alto nele.
    Eu suspeito que ele além de tudo possa ter TEA tbm.
    E não sei mais o que fazer só escuto reclamações da escola isso porque faz acompanhamento escolar na Apae.
    E faz acompanhamento multidisciplinar tbm .
    Não sei o que pensar já que a Apae é uma entidade que já é especializada em educação especial.. .(mas mesmo assim já suspenderam ele por quase um mês ,fora também já me fizeram ficar dentro de sala de aula com ele pois ele estava muito agitado).
    Fico pensando se lá que é especializado não tem suporte pra atender uma criança com necessidades especiais. será que as escolas públicas. Estão preparadas ?

    1. NeuroSaber Responde
  8. Meu filho está com 12 anos hoje ,e foi diagnósticado com TDAH quando tinha 8 anos por uma psicopedagoga fez acompanhamento com ela por dois anos, antes disso já o tinha encaminhado por algumas especialidades médicas como psicólogo,neuro ,psiquiatra até por uma terapia ocupacional ele passou,fez Fono por dois anos. Hoje não faz acompanhamento nenhum pois desanimei pq na escola em que ele estuda não tive nenhum retorno da parte deles .A piscopedagoga que fez o diagnóstico dele chegou ir na escola conversou com o diretor e professor dele, orientou professor como tinha que ser o trabalho dele em sala com meu filho,mas só ficou nisso,não tive nenhum retorno da parte deles ,já até pensei em tirá-lo da escola ,mas sei que isso não vai resolver em nada pois sei que vai continuar o mesmo problema se ficar nessa ou colocar ele em uma outra escola.Infelismente no Brasil às escolas e professores não estão preparados pra este tipo de problemas eu me sinto impotente ,mas sei que preciso fazer alguma coisa pra melhorar isso . Gostaria que você podesse me dar uma orientação sobre o que devo fazer a respeito disso ?

    1. NeuroSaber Responde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *