TDAH na adolescência e na fase adulta

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) deve ser entendido como um transtorno de desenvolvimento que afeta a vida de uma pessoa em vários aspectos. Muitas pessoas pensam que somente as crianças convivem com essa condição, mas a situação é completamente diferente, uma vez que adolescentes e adultos também são diagnosticados com ela. Portanto, nota-se que o TDAH acompanha as três fases da vida de um indivíduo.

Qual é a frequência do TDAH na população adulta?

Estima-se que 3% dos adultos apresentam o TDAH. O detalhe é que 95% das pessoas começaram a ter sintomas antes dos 16 anos. Outro dado importante é que 50% delas são diagnosticadas antes dos 7 anos.

O TDAH na adolescência

Durante a adolescência o TDAH mostra o seu lado mais perigoso, pois é nesse período que o convívio social tende a ficar mais prejudicado. Uma situação vivenciada pelo adolescente com TDAH é o conflito corriqueiro com seus familiares, colegas de sala e professores.

– No contexto da família

O jovem geralmente entra em atrito com seus parentes por não conseguir obedecer às regras impostas pelos adultos. Além disso, o fato de não conseguir dar continuidade ao que é solicitado faz com que haja essa situação de desconforto por ambas as partes, onde surge incompreensão e, consequentemente, brigas.

É muito comum que adolescentes com TDAH entrem em conflito com seus irmãos, principalmente se a diferença de idade entre eles for bem pequena. As agressões podem acontecer desde insultos a violência física em casos mais graves.

– No contexto da comunidade em geralmente

A adolescência é um período marcado por grandes questionamentos e uma pessoa que convive com o TDAH não é diferente. Sendo assim, o adolescente nessa situação tende a se envolver mais em brigas fora de casa. Há casos em que o jovem pode até se envolver com o uso de drogas e outras atividades que oferecem riscos à sua integridade e a dos demais.

O TDAH na fase adulta

Esses jovens atingem a idade adulta com baixa autoestima, tendo em vista que eles chegaram a atual fase sem atingir os objetivos básicos na infância e na adolescência, seja em seu convívio social ou experiência acadêmica.

Muitas vezes, os adultos chegam ao consultório demonstrando estarem depressivos, culpando-se e se perguntando por que não conseguem cumprir tarefas básicas do cotidiano. Eles se questionam por que esquecem tanto e não conseguem dar prosseguimento àquilo que começaram antes.

 TDAH adulto no percurso escolar

O adulto com TDAH tem oito vezes menos chances de conquistar o diploma universitário, além disso, ele tem possibilidades reais de largar os estudos. Problemas de relacionamento social e problemas de evolução acadêmica são os principais motivos para a desistência da vida estudantil antes de ser concluída.

Sabendo um pouco mais sobre o TDAH

O TDAH se constitui por uma excessiva dificuldade em manter o foco em uma atividade que exija esforço mental prolongado; uma atividade que precise ser desempenhada com regras, prazos pré-determinados. Além disso, crianças com déficit de atenção têm dificuldade para começar e terminar suas tarefas.

Outra dificuldade é a de rever situações e erros; dificuldade de fazer conclusões, síntese e análise de atitude. Pessoas com TDAH tendem a ser mais esquecidas, desorganizadas e perdem-se em tarefas. Além disso, há mais características:

– Tendem a ter rendimentos escolares e rotineiros mais baixos;

– Podem ser completamente introspectivas;

– Problema de memorização, capacidade de organização e interiorização de conceitos e aprendizagens;

Dr Clay Brites

Compartilhe este artigo

Comments 5

    1. Adriana Matias
  1. Meu filho faz tratamento com uma fono há três anos e começou a dar resultado, mas eu também a coloquei no Kumon, hoje com 13 anos toma ritalina, mas faço leitura todos os dias com ele em voz alta , isso melhorou a leitura e a compreensão…qto a escrita já escreve na linha e se organiza melhor.Mas começou a decodificação dos livros que leu, portanto melhorou a escrita, mas ele fez o SENA, Sistema de estimação neuro auditivo, e começou a fazer música, eu como mãe me preocupo com ele sim , e ensino ele todos os dias, enquanto viver eu lutarei pelo meu filho…

  2. meu filho tem TDH ele gosta muito de ver jogos no celular isso pode o prejudicar e gosta de jogar bola mas o que posso fazer para ajudar ele na memorização fico desesperada as vezes tenho medo do futuro dele ele faz acompanhamento com neuro

    1. Adriana Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *