Terapias para diminuir e controlar os sintomas de TDAH

Os sintomas de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) costumam tirar o sono de pais e mães; pelo menos quando eles ainda não foram orientados por um especialista. Antes de aprofundar nas dicas de terapias para diminuir e controlar os sinais do TDAH, vamos relembrar algumas informações acerca do transtorno.

O que é TDAH?

É válido ressaltar que o TDAH é um transtorno de desenvolvimento responsável por afetar áreas de grande importância para a vida de uma pessoa, tal como o desempenho acadêmico, a interação social e até mesmo a dificuldade em coordenação motora. Os sintomas manifestados podem ser variados, mas todos eles requerem um acompanhamento profissional. Veja a seguir:

  • – Desatenção frequente em situações do cotidiano (obrigatórias e lúdicas);
  • Dificuldade para seguir instruções ou finalizar o que devia (alguma tarefa);
  • Não se familiarizar com atividades que peçam raciocínio ou atenção (atividades que necessitam de esforço mental);
  • Ficar distraído por estímulos externos e não prestar atenção ao que se passa dentro do contexto ao que está inserido;
  • Perder objetos que fazem parte de alguma função rotineira;
  • Bater mãos e pés quando precisa ficar parado;
  • Levantar-se da cadeira a todo instante (inquietação total);
  • Aversão à frustração;
  • Não ter paciência de esperar o outro terminar as atividades e querer passar na frente;

Quais são os tratamentos indicados?

Para diminuir e controlar os sintomas de TDAH, os especialistas indicam algumas terapias eficientes e que tendem a ajudar de forma considerável os pequenos. Há que se lembrar que elas podem variar de caso a caso.

As terapias devem ser aplicadas por profissionais médicos ou não médicos. É importante ressaltar que muitas crianças e adolescentes se tratam com uma equipe multidisciplinar, composta por neuropsiquiatras, neuropediatras, neurologistas, psicólogos, fonoaudiólogos, psicomotricistas, psicopedagogos; enfim, todos os especialistas necessários para a diminuição das características mais marcantes nos pequenos e nos jovens.

Podemos destacar também os encontros realizados por meio dos grupos de apoio. O objetivo é reunir pais e profissionais para a troca de informações que possibilitarão aos responsáveis uma condução satisfatória sob os sintomas de TDAH.

Quais são os medicamentos utilizados?

O uso de medicação nos casos de TDAH é seguro, é eficaz e é fundamental para que a autonomia, a memorização e a atenção seletiva e sustentável. Um dos medicamentos mais famosos é a Ritalina. A eficácia do remédio é cientificamente comprovada.

Muitos pais costumam ficar meio receosos pelo fato de a Ritalina causar efeitos colaterais em crianças, nas primeiras semanas, são eles: perda de peso, perda de apetite, dores de cabeça, boca seca, dor na barriga e uma leve sonolência. No entanto, depois de 3 a 8 semanas os efeitos desaparecem.

O uso da Ritalina é seguro e imprescindível para que esses pacientes melhorem as oscilações de humor, a desorganização motora e a aprendizagem escolar. Existem grupos de pesquisa que vão analisar detalhadamente em quatro eixos se o medicamento realmente provoca esses efeitos. Porém, até o momento, especialistas de todos os lugares indicam a Ritalina como a medicação ideal.

O perigo do diagnóstico tardio

Os sintomas de TDAH, quando não tratados, podem implicar em consequências na vida pedagógica e social. Muitas vezes, essas pessoas acabam sendo incompreendidas por alguma atitude, seja ela puxada para o lado da desatenção ou da hiperatividade. Por isso é importante providenciar um tratamento eficaz para a criança.

Dr Clay Brites

Compartilhe este artigo

Comments 22

  1. Muito difícil lidar sozinha com um filho portador de TDAH. Principalmente quando se vive fora do seu país de origem sem segue de saúde! Vamos lutando!

    1. NeuroSaber Responde
  2. Dr. Clay , qual é a sua opinião sobre o venvanse.
    Para uma crianca de 8 anos com 38 kg tomar 30 mg está adequado?

    Agradeço desde já o seu retorno

    1. NeuroSaber Responde
  3. Eu aprendo muito com esses artigos que você compartilha com os profissionais e pais. Sou muito grata a você e sua esposa pelo trabalho lindo que vocês fazem. parabéns! Muito obrigada mesmo.?????

    1. NeuroSaber Responde
  4. Participei de uma palestra da Valéria de Souza Ribeiro, psicóloga idealizadora do Janeiro Branco, em que ela dizia abertamente que usar ritalina em crianças, cujos cérebros estão em desenvolvimento, é uma tragédia. Mas tb não explicou pq. Não deu nenhuma referência científica, mas divulgou a ideia de forma sistemática a pessoas de CAPS i, pais e profissionais não habituados a questionar. Achei um desserviço.

    1. Suporte Neurosaber
  5. Tenho um neto de 14 anos. Faço tratamento desde os 6 e já passei por4 neurospediatras e psiquiatra que revelavam venvanse e converta.
    O último tirou tudo pois na escola continua tudo igual.
    Receitou bupin e depende.
    Que faço agora?
    Me ajude, por favor.

    1. Suporte Neurosaber
    2. Suporte Neurosaber
    1. Suporte Neurosaber
  6. Suas orientações são de grande relevância nas minhas ações pedagógicas. Obrigada!

  7. Muito bom! Aprendo com as leituras disponibilizadas pelo Neurosaber, como tbm com as perguntas dos participantes e respectivas respostas dos especialistas. Grata!

  8. Dr. Clay, boa tarde!
    Meu nome é Verônica, mãe de uma menina de 9 anos no qual a três dias foi diagnosticada com TDAH e a introdução do medicamento chamado TOFRANIL, porém estou com medo de fazer a medicação pois o medicamento é para depressão e minha filha não apresenta tal quadro. Gostaria de uma orientação sobre esse remédio. Obrigado!!

    1. Suporte Neurosaber
  9. Bom dia Dr. Clay!
    Tenho um filho de 3 anos e 3 meses, ele possui atraso na fala, é uma criança muito agitada, hiperativa, não sabe lidar com a frustração, toda vez que é contrariado ameaça bater a cabeça, quando não o faz. Estou peregrinando com ele entre neuros, psicólogos, fonos e TO há mais de 2 anos. Por conta de agitação e nervosismo dele estar atrapalhando no ambiente escolar e em casa também, decidimos procurar um outro neuro, visto que só as terapias não estavam trazendo grandes ganhos em relação ao comportamento. Esse último neuro diagnosticou meu filho com TDAH, a pergunta é: é possível a criança receber o diagnóstico com essa idade? Além disso, ele prescreveu a ritalina la. Desde já agradeço a atenção dispensada.

    1. NeuroSaber Responde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *