Transtorno Opositivo Desafiador tem tratamento?

A medicina evolui constantemente com os estudos realizados por especialistas em todo o mundo. Para cada problema, uma solução. Diante dessa possibilidade, é inegável que pais de crianças e adolescentes com transtornos determinados tipos de transtornos pensem acirradamente por respostas que possam trazer alívio para seus filhos.

O Transtorno Opositivo Desafiador (TOD), por exemplo, é uma condição que deixa os adultos, responsáveis pelos jovens, bastante apreensivos. O TOD tem por características o comportamento baseado em atitudes agressivas, muitas vezes ocasionado por acessos de fúria, desobediência excessiva, atitudes vingativas, entre outros.

O resultado disso é um ambiente prejudicado com constantes brigas e advertências ante ao comportamento caótico que o pequeno pode demonstrar em situações que exigem obediência e respeito. Além disso, problemas na escola também podem se estender para dentro de casa e tornar o clima doméstico, muitas vezes, insustentável.

A solução do problema: o tratamento para o TOD

Conviver com uma pessoa que seja diagnosticada com o Transtorno Opositivo Desafiador não é uma tarefa simples; é preciso jogo de cintura. No entanto, existe o apoio médico, cuja eficácia tende a diminuir o impulso a qual a criança está sujeita, no caso do TOD.

O tratamento é orientado por um especialista (neurologista ou psiquiatra infantil). Esses profissionais são responsáveis por identificar os sintomas e começar com as intervenções necessárias para cada paciente.

– Como ocorre?

Importante ressaltar que os médicos procuram, geralmente, preocupar-se com a medicação como o primeiro passo no combate aos distúrbios que o TOD exerce no quesito comportamental da criança. A prescrição de medicamentos visa reduzir a agressividade e o excesso de raiva que atingem os pacientes.

Terapia como complemento de peso

Os especialistas não usam somente os medicamentos para amenizar e solucionar os efeitos do TOD na vida dos pacientes. Há que se ressaltar a utilização de terapias para cada caso. Esses procedimentos terapêuticos contam com a presença de psicólogos ou psicopedagogos. Importante lembrar que as pessoas que convivem com esse paciente também podem receber dicas para lidarem com a criança de forma sistematizada e eficaz.

Medidas terapêuticas para comorbidades

O Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) pode vir acompanhado de alguma comorbidade como o TDAH, o Transtorno Bipolar, o Transtorno de Conduta (TC) e o Transtorno do Espectro Autista (TEA). O acompanhamento psicológico ou psicopedagógico serve para que os profissionais trabalhem também a conduta do indivíduo perante as situações da vida, o que refletirá na fase adulta.

Além disso, todo esse trâmite (medicação e terapias) é excelente para o convívio da criança ou adolescente na vida escolar. Nada mais carregado de desafios que o ambiente da sala de aula; afinal, quando se têm personalidades distintas dentro de um mesmo espaço, a flexibilidade das pessoas tende a ser a peça-chave para uma ótima convivência.

O tratamento para o TOD visa justamente trabalhar essa questão. Os educadores também representam muita importância nesse processo de readaptação do aluno (com TOD) dentro de sala. Este trabalho em conjunto é feito para oferecer ao paciente o bem-estar que ele precisa e merece.

Veja este vídeo sobre TOD no TDAH:

Já pensou aprender definitivamente o que é o Transtorno Opositivo Desafiador – TOD? Clique no link abaixo e conheça o Curso online + Ebook idealizado pelo Dr. Clay Brites.

Resultado de imagem para clique aqui e saiba mais

Compartilhe este artigo

Comments 12

    1. NeuroSaber Responde
  1. Bom dia. Tenho um filho de 12 anos tdaH/TOD. Faz acompanhamento com psiquiatra/pedagogo. Mas nenhum dos varios medicos que passamos me diz se artes marciais ajudariam ou atrapalhariam. E se é benéfico qual a mais indicada? Será que ele vai descarregar a agressividade?

    1. NeuroSaber Responde
  2. Oi tenho um filho de dez anos que foi dianotiscado com oTOD nem preciso dizer o inferno em que vivo ele é tudo que o senhor mencionou acima no vídeo vivemos isolados sem sozinhos por que onde vamos nunca termina bem pelo amor de Deus o senhor me ajuda já levo ele em médico neurologista em psicóloga só que está difícil todos as pessoas me critica que eu tenho que por limites ê não gosta dele por que acha que ele ne faz sofrer mas eu o amo muito e quero o melhor pra ele é pra ficar mais difícil sou viúva moramos só ele é eu e ele e meu filho de coração e não temos a mesma cor de pele como o senhor pode ver estou passando por maus pedaços desde quando ele tinha cinco ou seis anos por favor me ajude Que Deus ti ilumine Sueli uma mãe em apuros

    1. NeuroSaber Responde
  3. Boa noite.mmeu apresenta alguns dos sintomas mencionados…estou sofrendo muito..e como disseram e dificil a convivencia.as pessoas me criticam..julgam ele isso e muito dificil. E na escola foi muito dificil. Ano passado…me ajude..

    1. NeuroSaber Responde
  4. Preciso de ajuda. Para encontrar um medico que trata autismo, TDAH e TOD, meu filho de 13 anos com todos esses problemas acaba com uma mãe estou totamente desgastada . Pode indicar um medico aqui em SP capital que trata estas questões. Izabel. Muito obrigada

    1. NeuroSaber Responde

      Ola Izabel, não temos essa indicação, mas caso queira, temos atendimento no Paraná.
      Entre em contato com o consultório através dos fones:43-99162-7093 Londrina-Pr ou 43-99113637 Arapongas-Pr.

  5. Olá bom dia!meu filho é Autista,TDAH,TOD,realmente estou sofrendo muito pois quando quer uma coisa que não faço me chuta ,se bate muito,me morde,ate dizer que não me ama já me disse ,ele tem 6anos difícil,não posso mais trabalhar porque as pessoas tem medo de ficar com ele e pra completar quando fica muito agitado vem a eplepdia trava os dentes tem uma força que penso com 6anos essa força que não aguento pois sr bate muito e tenho medo de bater a cabeça não fala direito,coordenação motora bem pouco,,e toma carbamazepina de manhã e a noite,respiridona de manhã ,na hora do almoço e a noite,e tofranil a noite pois faz muito xixi na cama.E ritalina de 10mg de manhã e na hora de ir pra escola,na crise fico muito nervosa choro muito.E está ficando difícil pois acha que os amigos tem que brincar do que ele quer.Estou muito baqueada,pois acaba com a gente me ajude pot favor.Foi encaminhado pra APAE,mas ainda não conseguiu vaga com fono e psicoterapeuta.Está na fila de espera,e isso vai me deixando mais anciodao,fora que ele sente muita fome meu marido desempregado vive de bico ,e não trabalho está difícil,me dê uma luz por favor

    1. NeuroSaber Responde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *